Saltar para o conteúdo
8,2
Cineplayers
8 votos
8,5
Usuários
137 votos
?
Sua nota
Direção
Peter Bogdanovich
Roteiro:
Joe David Brown (romance), Alvin Sargent (roteiro)
Gênero:
Comédia, Drama
Origem:
Estados Unidos
Duração:
102 minutos
Prêmios:
46° Oscar - 1974, 31° Globo de Ouro - 1974

Addie Loggins (Tatum O'Neal) é uma jovem de apenas nove anos que se torna órfã. Ela então passa aos cuidados de Moses Pray (Ryan O'Neal), um vigarista disfarçado de vendedor de bíblias que a levará a uma aventura inesquecível. Tatum O'Neal é a atriz mais jovem a ganhar um Oscar até hoje.

Elenco

John Hillerman
Jess Hardin
Madeline Kahn
Trixie Delight
P.J. Johnson
Imogene
Jessie Lee Fulton
Srta. Ollie
James N. Harrell
O Ministro
Lila Waters
Esposa do Ministro
Tatum O'Neal
Addie Loggins
Ryan O'Neal
Moses Pray

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Uma pérola.

  • Um dos filmes mais lindos, clássicos e imorais que eu já vi. Uma fábula da marginalidade. Belíssima fotografia, texto fluido, a menina é um fenômeno e casa muito bem com o Ryan ONeal

  • Técnica: 10 Ciência: 9.0 Arte: 9.0 Total: 9.33

  • Quem pode resistir a essa improvável dupla de trambiqueiros? Caprichando na incorreção política - aos olhos de hoje -, o roteiro nos dá uma volta e nos faz torcer por eles, como vítimas de um exímio mão leve.

  • Os planos longos, o preto e branco nostálgico, a cumplicidade que sentimos junto ao casal de trapaceiros, Tatum O'Neal, tudo isso confere uma incrível autenticidade e melancolia, sem sentimentalismos, a esta singelíssima obra.

  • Obra-prima de quilate ímpar que resume (e humilha) a maioria das carreiras modernas de drama, ou comédia. Entre o riso e o choro que dividem às vezes o mesmo plano, tipos como Thomas Anderson e Alexander Payne mantêm esse diamante na cabeceira.

  • O filme mais agradável/divertido já feito, depois de Quanto Mais Quente Melhor. Addie é uma graça e mereceu o Oscar que levou. "How much did you get?" "$625. 625 dollars and he bought his own whiskey"

  • O clássico trambiqueiro simpático, a clássica garota irritante que conquista qualquer coração, depois do grande feito em seu filme anterior, Bognadovich filma em preto-e-branco para dar um tom de realidade, aquele típico filme de "pai e filha" que encanta

  • Genialmente bem concebido,consegue o tom exato,um equilibrio notável de sentimentos.Engraçado sendo inteligente,triste sem depressão. Agradeçamos a não-existência de babaquismo.A criança matraqueia,fuma e engana.Nada mais justo para um filme de golpe.

  • Garantia de boas risadas e uma história incrivelmente carismática com personagens que em teoria deveriam propor exatamente a antítese do carisma. Existe beleza na sujeira e na vigarice também.

Comentários (0)

Faça login para comentar.