Saltar para o conteúdo
Drama

Na Praia à Noite Sozinha

(Bamui Haebyun-eoseo Honja, 2017)
7,9
Cineplayers
11 votos
7,6
Usuários
52 votos
?
Sua nota
Direção
Sang-soo Hong
Roteiro:
Sang-soo Hong
Gênero:
Drama
Origem:
Alemanha, Coréia do Sul
Duração:
101 minutos

Desiludida com sua carreira, uma jovem atriz viaja por cidades próximas do litoral na tentativa de superar o término do relacionamento com um cineasta casado.

Elenco

Min-hee Kim
Young-hee
Jae-yeong Jeong
Myung-soo
Seong-kun Mun
Sang-won
Jae-hong Ahn
Seung-hee
Young-hwa Seo
Jee-young
Hae-hyo Kwon
Chun-woo
Seon-mi Song
Jun-hee
Sun-young Ahn
Sun-hee

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Um dos mais celebrados do diretor e talvez o que menos gostei dos que vi. Uma primeira parte linear e chata, sem as suas famosas jogadas com a linguagem e um finalzinho que parece ter alguma coisa de grande mas que não captei tão bem.

  • Um brinde à coesão absurda de Sang-soo, que segue filmando a deriva dos sentimentos com pérolas brutas em forma de diálogos.

  • Sang-soo estabelece um fluxo potente e intimista de sentimentos entre cenas, apoiado na excelente Min-hee. Após a última cena o que há é uma imensidão de camadas sutilmente construídas através de diálogos e rigor cênico.

  • Filme de imersão altamente pessoal no que defino como a encenação da vida real.Hong transporta seu filme para dentro de um sonho de sua personagem principal, numa espécie de exercício-metalinguístico ou não, sobre solidão, amor,conduta, apego e desejo.

  • É cinema que nâo faz meu tipo.

  • A singular e complicada presença da solidão. O prosaico e sua constante revelação da natureza humana. O ato de realizar filmes como forma de exorcizar fantasmas da alma. O Cinema de Sang-soo Hong é belo, sensível e profundamente encantador.

  • A construção de diálogos de Sang-Soo continua eficiente, bem como seus conceitos visuais, que sedimentam sentimentos e personagens com maestria, dessa vez em uma quase autobiografia. Nem sempre funciona em sua plenitude, mas que belo filme!

  • "Believe", de Cher, na ótica Sang-sooniana.

Comentários (0)

Faça login para comentar.