Saltar para o conteúdo
9,0
Cineplayers
3 votos
8,0
Usuários
83 votos
?
Sua nota
Direção
Wim Wenders
Roteiro:
Wim Wenders (escritor), Patricia Highsmith (romance)
Gênero:
Suspense, Drama
Origem:
França, Alemanha Ocidental
Duração:
125 minutos
Prêmios:
30° Festival de Cannes - 1977

Moldurista alemão acredita sofrer de uma doença incurável quando recebe uma proposta de um gângster: matar um rival em troca de uma quantia que garantisse tranqüilidade financeira à sua família após sua morte. Mas o que ele não sabe é que por trás de tudo isso está Tom Ripley, com quem tem um áspero contato.

Elenco

Dennis Hopper
Tom Ripley
Bruno Ganz
Jonathan Zimmermann
Lisa Kreuzer
Marianne Zimmermann
Gérard Blain
Raoul Minot
Nicholas Ray
Derwatt
Samuel Fuller
Der Amerikaner
Peter Lilienthal
Marcangelo
Daniel Schmid
Igraham
Enzo Robutti
Homem caindo
Rudolf Schündler
Gantner

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Win Wenders é o cara que faz do cinema uma tela para pintar seus quadros. A beleza, a precisão e a profundidade das imagens aqui é absurdamente genial.

  • Técnica: 8.5 Arte: 8.0 Ciência: 8.0 Nota: 8.16

  • Sensacional as participações do Fuller e do Ray, além da dupla Hopper e Ganz. É o que vale o filme. A história tem uma premissa moral bacana, é bem feito, fotografia legal mas falta algo, não prende a atenção e poderia ser mais curto.

  • Quando um homem não tem mais nada a perder, tudo o que vem é lucro. Wenders atesta essa verdade horrenda em planos desconcertantes e uma narrativa eminentemente lenta cujo efeito é pulsante, um oxímoro típico de seu cinema.

  • Obra-prima que traduz com perfeição a velha expressão: "suspense de tirar o folêgo".

  • O conflito moral do personagem principal é o grande acerto e culmina nesse sensacional thriller de suspense com uma puta trilha sonora ,realizado após a frustrada incursão em hollywood(que acabou rendendo ''O Estado das Coisas'')

  • É um filme que causa estranheza. Ao final, ainda é difícil saber exatamente como a história de um moldurista alemão se cruza com a de um gãngster (?) americano. Mas a peculiaridade da narrativa se traduz num grande filme, pulsante e cheio de detalhes.

  • Até o momento foi o único filme de Wim Wenders que me decepcionou, provavelmente pelo meu desdém ao próprio gênero, mas é indiscutível a pobreza filosófica deste filme se comparado às obras que ele viria a produzir mais tarde.

  • A premissa não é muito original, porém o diretor soube trabalhar em cima dela, usando boas doses de imprevisibilidade e psicodelia visual em cenas muito bem filmadas. Um ótimo filme, cheio de estilo devido aos elementos já citados.

  • A história confusa e a narrativa muito lenta diminuem o interesse pela trama.

Comentários (0)

Faça login para comentar.