Saltar para o conteúdo
Terror Drama Policial Suspense

Estranho Vício da Senhora Wardh, O

(Strano Vizio Della Signora Wardh, Lo, 1971)
6,9
Cineplayers
4 votos
7,0
Usuários
28 votos
?
Sua nota
Direção
Sergio Martino
Roteiro:
Vittorio Caronia (roteiro), Ernesto Gastaldi (roteiro), Eduardo Manzanos Brochero (argumento e roteiro)
Gênero:
Terror, Drama, Policial, Suspense
Origem:
Espanha, Itália
Duração:
98 minutos

Julie Wardh, de volta a Viena com seu marido diplomata Neil, encontra a cidade aterrorizada por um maníaco assassino. Imediatamente se lembra de Jean, seu violento e sádico ex-namorado, que convenientemente voltou a cidade ao mesmo tempo do início dos assassínios e retomando o contato com ela, parece querer reatar o romance. Também entra em cena o enigmático e elegante George que também demonstra seus interesses em relação a Julie. Assim, acompanhando os passos do assassino, Julie deve descobrir quem, entre os homens a sua volta, tem intenções mais nefastas que apenas leva-la para cama.

Elenco

George Hilton
George Corro
Edwige Fenech
Julie Wardh
Conchita Airoldi
Carol Brandt
Manuel Gil
Dr. Harbe
Carlo Alighiero
Comissário
Ivan Rassimov
Jean
Alberto de Mendoza
Neil Wardh
Bruno Corazzari
Assassino

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Filme mais famoso de Martino. É, durante sua primeira hora, um excepcional estudo de um mundo circulado por vícios e movido pelo sexo, mas o terceiro ato composto por reviravoltas espertinhas tira muito da graça do filme.

  • A princípio muito apegado à trama, o filme vai aos poucos se desprendendo de qualquer recurso textual e se dissolve em um surto de imagens impressionante. Ainda que menor que Torso, é um giallo interessante de Sergio Martino.

  • vale pelos seios da Edwige Fenech

  • Um bando de personagens amorais e decadentes. Um filme de devaneios volutuosos. Sergio Martino procura equilibrar toda essa sordidez e psicodelismo em um jogo de intenções obscuras. Nada é o que parece, mas tudo é exatamente como deveria ser. Bom Giallo!

  • Se falta em Martino o apuro técnico do Bava, ele compensa com roteiros que fogem do lugar comum dos giallos. Talvez por censura, o título não tenha sido justificado, porém as cenas iniciais são memoráveis.

  • Recheado de momentos angustiantes, como a cena da escadaria e do estacionamento, e outras completamente delirantes, aproveitando-se da beleza sem igual de Edwige Fenech, fazem deste giallo um entretenimento genuíno. Destaque ainda para o desfecho bizarro.

  • A primeira metade pode ser chamada de obra-prima, mas a segunda entra em um declínio qualitativo impressionante. De todo modo, é um Giallo fora do comum e bastante original, pena que a execução da idéia seja um pouco fraca.

Comentários (0)

Faça login para comentar.