Saltar para o conteúdo
Suspense Policial Terror

Testamento do Dr. Mabuse, O

(Testament des Dr. Mabuse, Das, 1933)
9,1
Cineplayers
6 votos
8,6
Usuários
86 votos
?
Sua nota
Direção
Fritz Lang
Roteiro:
Norbert Jacques (personagens), Fritz Lang (roteiro), Thea von Harbou (roteiro)
Gênero:
Suspense, Policial, Terror
Origem:
Alemanha
Duração:
122 minutos

Filmes Relacionados

Uma rede terrorista está à solta em Berlim. Seu objetivo é promover caos e anarquia, utilizando-se de instruções do Dr. Mabuse, que encontra-se em um hospital para doentes mentais em estado catatônico. O inspetor Lohmann é o responsável pela investigação do caso, e vai apertando o cerco através de provas cada vez mais estranhas. O filme teve sua exibição proibida na Alemanha durante aproximadamente duas décadas.

Elenco

Oscar Beregi Sr.
Prof. Dr. Baum
Rudolf Klein-Rogge
Dr. Mabuse
Otto Wernicke
Inspetor Lohmann
Adolf E. Licho
Dr. Hauser
Georg John
Servo de Baum
Oskar Höcker
Bredow
Rudolf Schündler
Hardy
Ludwig Stössel
Operário

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Verter sombras sobre o mundo, espalhar o caos, o terror, gerar o medo, roubar a liberdade - ou recebê-la em mãos? Fritz Lang tinha plena noção do horror que começava a reinar na sociedade alemã. Um dos filmes mais impressionantes da história do Cinema.

  • Um Marco do expressionismo Alemão. Talvez o grande primeiro jogo gato e rato do cinema.

  • Se as pessoas adoram O Testamento do Dr. Mabuse é porque não viram o primeiro filme, que está muito além deste aqui.

  • Pela época, surpreende pela complexidade da trama e dos personagens, o visual expressionista e algumas cenas só comprovam o quanto genial foi Fritz Lang.

  • Nessa combinação ainda hoje impressionante de suspense policial com elementos de horror e expressionismo (o fantasma de Mabuse, a espetacular sequência da perseguição e explosão da fábrica), Lang fez uma grande alegoria de crítica ao nazismo.

  • Mesmo sendo um tanto arrastado,compensa pelas várias qualidades : técnicas atemporais,roteiro inteligente e Rudolf Klein-Rogge novamente num personagem excelente.

  • Lang foi o Shakespeare do gênero policial, e se "M" se consagrou como uma vertente de "Macbeth", este poderia ser uma variação de "Otelo", levemente mais otimista, é claro. Um grande roteiro de resoluções antagônicas, coisa de mestre.

  • Inspirado no filme Os Vampiros de Louis Feiullade e talvez por isso não tenha me impressionado tanto. É um trabalho um tanto inocente em termos de suspense, Lang entrega muito fácil seus vilões e motivações, mas é inegável a força do discurso anti-nazismo

  • Dizer que Lang estava muito além de seu tempo é chover no molhado e, tecnicamente, "Mabuse" é até mais embasbacante que a média de seus filmes. A surpresa, então, fica na fluidez de sua narrativa, que passeia entre gêneros com sucesso irrestrito.

  • Desde Kriemhild, vê-se o interesse de Lang e Harbou pela análise do caos social e aqui fazem um testamento atemporal da lógica totalitária para a tomada de poder. Exasperante como toda grande obra do cineasta.

Comentários (0)

Faça login para comentar.