Saltar para o conteúdo
6,6
Cineplayers
10 votos
7,0
Usuários
375 votos
?
Sua nota
Direção
Spike Jonze
Roteiro:
Maurice Sendak (livro), Spike Jonze (roteiro), Dave Eggers (roteiro)
Gênero:
Drama, Fantasia
Origem:
Estados Unidos
Estreia:
15/01/2010
Duração:
101 minutos
Prêmios:
67° Globo de Ouro - 2010

Max é um garoto travesso mandado de castigo para seu quarto depois de desobedecer a mãe. Porém, a imaginação do menino está livre e o transporta para um reino desconhecido. Encantado, Max parte para a terra dos Monstros Selvagens, onde Max é o rei.

Elenco

Max Records
Max
Pepita Emmerichs
Claire
Catherine Keener
A mãe
Steve Mouzakis
O professor
Mark Ruffalo
O namorado
James Gandolfini
Carol (voz)
Paul Dano
Alexander (voz)
Catherine O'Hara
Judith (voz)
Forest Whitaker
Ira (voz)
Chris Cooper
Douglas (voz)
Lauren Ambrose
KW (voz)
Michael Berry Jr.
O boi (voz)
Spike Jonze
Bob / Terry (voz)
Angus Sampson
Artista vestido de touro

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Uma narrativa repleta de significados e simbolismos sobre as dificuldades do crescimento e o poder de imaginação da infância, sempre contada com o frescor e a originalidade de Jonze. Bonito, sensível e muito bem realizado. Os monstros são um achado.

  • Uma bela obra visual e sonora, um tanto quanto vazia fora disso. O garoto fez um ótimo trabalho.

  • Um pouco de A História Sem Fim, um pouco de Meu Amigo Totoro, um pouco de Monstros S.A., mas ao mesmo tempo muito particular em suas singelas discussões sobre o eterno deslocamento de uma criança no mundo, achando refúgio em suas melancólicas fantasias.

  • As metáforas são óbvias, os personagens, mal desenvolvidos (o Mark Ruffalo entra e sai do filme sem pronunciar uma fala), e os monstros não provocam qualquer empatia. Sobre as dificuldades da infância, prefira 'A História Sem Fim'.

  • A trilha é linda e os monstros, feitos em live action ao invés de computação gráfica, são bem convincentes e nostálgicos. Mas a trama falha ao tentar ligar toda a depressão dos personagens, tanto dos monstros quanto do solitário menino.

Comentários (0)

Faça login para comentar.