Saltar para o conteúdo
Faroeste

Quem Foi Jesse James?

(True Story of Jesse James, The, 1957)
7,5
Cineplayers
1 votos
6,8
Usuários
26 votos
?
Sua nota
Direção
Nicholas Ray
Roteiro:
Nunnally Johnson (baseado no roteiro de), Walter Newman (roteiro)
Gênero:
Faroeste
Origem:
Estados Unidos
Duração:
92 minutos

Filmes Relacionados

Depois da guerra civil americana, dois irmãos (Jesse e Frank James) tentam ser pacatos agricultores, mas acabam virando bandidos famosos - junto a quadrilha de Cole Younger. Seus assaltos nacionalmente famosos, fazem sua cabeças serem disputadas como prêmio e a tranquilidade nunca mais será possível em suas vidas.

Elenco

Robert Wagner
Jesse James
Jeffrey Hunter
Frank James
Hope Lange
Zee James
Agnes Moorehead
Sra. Samuel
Alan Hale Jr.
Cole Younger
Alan Baxter
Barney Remington
John Carradine
Reverendo Jethro Bailey
Rachel Stephens
Anne James
Biff Elliot
Jim Younger
Frank Overton
Major Rufus Cobb
Marian Seldes
Rowena Cobb
Chubby Johnson
Arkew
Barney Phillips
Dr. Samuel
Barry Atwater
Advogado Walker
John Doucette
Xerife Hillstrom
Carl Thayler
Robert Ford - Robby
Frank Gorshin
Charley Ford
Mark Hickman
Sam Wells
Anthony Ray
Bob Younger
Fay Roope
Tom Trope

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Cinco anos antes de "O Homem que Matou o Facínora", Nicholas Ray parte do mito Jesse James (um delinquente juvenil tipicamente rayniano) para discutir lenda vs. realidade e, assim, fazer a mais fordiana de suas obras. Belo e injustamente esquecido filme.

  • Releitura do roteiro de 1939,essa é uma versão especial de JJ.Muito envolvente e estilosa,como vários westerns B. Sua montagem não-linear é destaque.Repleta de flashbacks (alguns duplos) e vai-e-vem que acontecem sem aviso.Deixa o todo bem interessante.

  • Ray queria fazer um western mais realista sobre Jesse James e foi bem sucedido, é um exemplar do gênero com um pouco mais de suor e sangue do que o cinema americano estava acostumado e bem conciso aos temas do diretor.

  • Nicholas Ray tentou trazer a ambiguidade moral de James para seu mundo de diversidades éticas, e entre prós e contras, o filme se torna unilateral em qualidades simples e humildes que não honram os grandes filmes de Ray.

  • A tragédia do homem desfigurado pelo meio social. Nicholas Ray faz de seu protagonista um romântico, mas que o tempo e a sociedade onde está inserido transformam em amargura, um rebelde de alma; desajustado com todos e com ele mesmo. É fábula lírica!

  • 16/03/15

Comentários (0)

Faça login para comentar.