Saltar para o conteúdo
8,0
Média
726 votos
?
Sua nota
Direção
Roteiro:
Irvine Welsh (romance), John Hodge (roteiro)
Gênero:
Origem:
Duração:
94 minutos
Prêmios:
69° Oscar - 1997

Lupas (59)

  • Viagem alucinada e aterradora.

    Araquem da Rocha | Em 28 de Abril de 2018 | NOTA: 7.0
  • Boyle compreende bem a demanda de uma nova geração e acerta o ritmo em cheio; a persistência do laranja e o tema evocam aquele Kubrick. Onde aquele protagonista era condenado à privação, este é condenado a ser livre.

    Chrystian | Em 28 de Abril de 2018 | NOTA: 8.0
  • Monólogo sensacional. O que somos nós além do que dizem para sermos

    Igor Guimarães | Em 13 de Janeiro de 2018 | NOTA: 8.0
  • "Lust for Life"

    Taumaturgo Moura | Em 17 de Outubro de 2017 | NOTA: 10.0
  • 20/08/96 - Foi o primeiro filme a mostrar que as pessoas se viciam em drogas porque elas dão prazer mas, ao mesmo tempo mostra as trágicas consequências causadas pelas drogas. Com momentos de bom-humor e uma trilha-sonora empolgante.

    Eduardo Scutari | Em 01 de Maio de 2017 | NOTA: 7.5
  • Um filme extremamente divertido e bem dirigido, com personagens únicos, despirocados e que queremos acompanhar. Há alguns excessos, e o tom do filme é inconstante, mas nunca se torna cansativo ou menos interessante.

    João Ferreira | Em 22 de Fevereiro de 2017 | NOTA: 7.0
  • Argumento poderoso pode perder força facilmente, a prova está aqui. Culpa da narração em off “espertinha” e “engraçadinha” que cansa e não para de atrapalhar boas situações, e da afetação estética de Boyle (seus artifícios bregas).

    Renato Abbt Keppe | Em 20 de Fevereiro de 2017 | NOTA: 6.5
  • Danny Boyle nunca mais faria algo parecido

    Paulo Matheus | Em 02 de Fevereiro de 2017 | NOTA: 7.5
  • Personagens fantásticos, um belo trabalho de câmera e algumas cenas bizarras, fazem deste filme uma pequena obra-prima. Agradou-me demais, já o assisti algumas vezes! Abraços!

    Marco Roberto de Oliveira | Em 21 de Janeiro de 2017 | NOTA: 9.0
  • A verve autoral de Boyle, a montagem e trilha frenéticas, as referências a 'Laranja Mecânica' e a persona de McGregor fazem de 'Trainspotting' um dos melhores filmes já feitos sobre vício, juventude, cinismo e necessidade de se encontrar na vida.

    Felipe Lima | Em 12 de Janeiro de 2017 | NOTA: 8.5
  • No mínimo irônico pensar que o comportadíssimo diretor de longas como "Slumdog Millionaire" já tivesse realizado um filme tão ousado quanto este. Não consegue chegar ao ponto de um manifesto temático, mas é bem maduro e relevante.

    Diego Henrique Silveira Damaso | Em 25 de Novembro de 2016 | NOTA: 7.5
  • Um retrato único e impagável sobre o vício em drogas e suas consequências.

    Rafael Justen | Em 08 de Novembro de 2016 | NOTA: 9.0
  • Ewan McGreggor em um de suas melhores atuações, senão e melhor. O filme escancara as verdades de tal maneira que somente grandes artistas conseguiriam representar. Um brinde a Escócia, de cerveja stout!

    Julliano Guerrero | Em 03 de Novembro de 2016 | NOTA: 10.0
  • Otimo

    Lucas Moreira | Em 18 de Agosto de 2016 | NOTA: 9.0
  • Feio, sujo, por vezes repugnante, mas ainda assim belo.

    Luiz Fernando Perugia | Em 23 de Dezembro de 2015 | NOTA: 8.0
  • Chega a ser doentio de tão real o modo como tratam os viciados e seus vícios. Trainspotting é uma descida até o inferno em busca de um pouco de orgasmo e alucinações.

    Gabriel Fagundes | Em 21 de Outubro de 2015 | NOTA: 8.0
  • Talvez haja alguma mensagem por trás deste filme, talvez seja algo sobre amadurecimento e os erros da juventude? Acredito que sim. Mas o que importa é sua narrativa surtada sobre as várias faces das drogas e dos vícios. E que narrativa!

    Gustavo de Souza Silva | Em 09 de Junho de 2015 | NOTA: 8.0
  • O ritmo frenético, as cenas "chocantes", momento memoravéis, direção, trilha e edição, um conjunto que termina em um filmaço.

    Cleber Eldridge | Em 13 de Maio de 2015 | NOTA: 9.5
  • Choose your future. Choose life... But why would I want to do a thing like that? I chose not to choose life.

    Daniel Maximo | Em 10 de Maio de 2015 | NOTA: 6.5
  • Um retrato contra a hipocrisia !

    Bruno Corlleone | Em 03 de Março de 2015 | NOTA: 8.5