Saltar para o conteúdo

Scarface - A Vergonha de uma Nação

(Scarface, 1932)
?
Sua nota
Direção
Howard Hawks, Richard Rosson
Roteiro:
Armitage Trail (romance), Ben Hecht (roteiro), Fred Pasley (adaptação), Seton I. Miller (diálogo), John Lee Mahin (diálogo), W.R. Burnett (diálogo), Howard Hawks (não-creditado)
Gênero:
Drama, Policial
Origem:
Estados Unidos
Estreia:
31/12/1969
Duração:
93 minutos

Filmes Relacionados

Lupas (17)

  • Logo de cara, Hawks dá seu recado com todas as letras e coloca na tela seu protagonista detestável, um homem sem qualquer compromisso com a lealdade ou algum traço de compaixão. A guerra entre as gangues está declarada e só importa vencer, mesmo que seja necessário disparar tiros para todos os lados, atingindo quem for. Tem alguns exageros, tornando a versão de De Palma superior.

    Patrick Corrêa | Em 21 de Março de 2021 | NOTA: 7.5
  • Levando em consideração que o filme tem quase 90 anos, dá até pra ponderar suas falhas e atuação ainda muito mais teatral do que cinematográfica. Observamos também o início dos filmes de gangsteres, não economizando nas rajadas da lendária submetralhadora Thompson. A versão do De Palma de 1983 é bem diferente e infinitamente melhor. Cult, 12-07-2020.

    Davi de Almeida Rezende | Em 13 de Julho de 2020 | NOTA: 5.0
  • Épico da violência, "Scarface" é uma vertiginosa queda no lado mais sujo do sonho americano. Para isso, Howard Hawks não se furtou em realizar um filme brutal, ousado, ofensivo; um banquete para quem quer conhecer a praga do homem e o fedor do submundo.

    Zacha Andreas Lima | Em 06 de Janeiro de 2019 | NOTA: 8.5
  • Cenas de tiroteios e perseguições muito avançadas para época. Tudo parece meio abrupto, mas nada que atrapalhe. Muito bom.

    Bruno Ricardo de Souza Dias | Em 29 de Novembro de 2018 | NOTA: 7.5
  • Muito parecido com Inimigo Público, qualidades e falhas parecidas, mas sem Cagney.

    Jules F. Melo Borges | Em 19 de Dezembro de 2015 | NOTA: 7.0
  • Não envelheceu muito bem, ainda que tenha personagens interessantes e um certo ritmo agradável, não classifico Scarface como uma obra inesquecível do cinema de gangster. Paul Muni está eficiente, mas não ao nível de O Fugitivo e nem ao nível de Al Pacino.

    Eliezer Lugarini | Em 30 de Novembro de 2015 | NOTA: 6.0
  • Envelheceu um pouco pela ingenuidade do mundo gangster, mas que foi importante para a estética do gênero. Paul Muni merece destaque. O lance dos "X motifs" espalhados foi genial. Uma boa direção do Hawks e sem o excesso de diálogo que ele viria a ter.

    Josiel Oliveira | Em 18 de Dezembro de 2014 | NOTA: 7.0
  • 10/08/11

    Eduardo Scutari | Em 15 de Março de 2014 | NOTA: 8.0
  • Exaltar as inúmeras qualidades do roteiro seria como chover no molhado (que filme muito à frente de seu tempo!). Porém, mesmo assim, ainda há um "quê" de diamante bruto aqui - o qual viria a ser dilapidado extraordinariamente muitos anos mais tarde.

    Vinícius de Castro | Em 07 de Janeiro de 2013 | NOTA: 8.0
  • O "timing" de Hawks é fantástico; difícil acreditar que este filme foi feito em 32, pois estava muito à frente de sua época. As cenas da perseguição de carros são simplesmente impressionantes. Um dos melhores filmes do cineasta.

    Lucas Delon | Em 29 de Outubro de 2012 | NOTA: 7.5
  • é impressionante como um filme de 1932 consegue ser tão lúcido e causar tantas emoções ao mesmo tempo.

    Danilo Silva | Em 29 de Agosto de 2012 | NOTA: 8.5
  • Howard Hawks e Paul Muni chutam bundas

    LSM | Em 14 de Dezembro de 2011 | NOTA: 8.5
  • Apesar de ter algumas das cenas mais icônicas do cinema, é bem envelhecido em alguns aspectos, a refilmagem de Brian de Palma foi realmente justificada.

    Caio Santos | Em 23 de Outubro de 2011 | NOTA: 7.5
  • Talvez fosse melhor deixar pela conta do próprio espectador perceber a denuncia, mas a mensagem logo de cara não atrapalha em nada, até por que ao longo do filme ela se faz eficaz. E Paul Muni esta genial.

    Ravel Macedo | Em 30 de Julho de 2011 | NOTA: 8.5
  • A história é bem contada, graças à montagem rápida e sem cenas desnecessárias, embora exagere um pouco na dramatização (o que era comum à época). Só faltou "apresentar" um pouco mais o personagem principal. Outra boa atuação de Muni.

    Gilberto C. Mesquita | Em 21 de Maio de 2011 | NOTA: 7.0
  • Toda a sequência final já valeria o status que o filme atingiu. Os diodos brilhantes proclamando "The World is Yours" é uma das coisas mais perfeitas do cinema americano.

    Yuri Ramos Ferreira | Em 17 de Março de 2011 | NOTA: 8.5
  • O desenvolvimento dos personagens se dá de forma açodada e superficial. Paul Muni não tem uma atuação que se possa chamar de inspirada e o final tem uns diálogos particularmente patéticos. É, sem dúvida, bastante inferior à versão de Brian de Palma.

    Guilherme Vasconcelos Ferreira | Em 04 de Março de 2011 | NOTA: 6.5