Saltar para o conteúdo

Estranhos no Paraíso

(Stranger than Paradise, 1984)
?
Sua nota
Direção
Jim Jarmusch
Roteiro:
Jim Jarmusch (escrito por)
Gênero:
Drama, Comédia
Origem:
Estados Unidos, Alemanha
Estreia:
03/11/2016
Duração:
89 minutos
Prêmios:
37° Festival de Cannes - 1984

Lupas (9)

  • Filme de iniciante, algumas coisas a cabeça tem que polir já que não foram polidas no próprio filme. Mas funciona

    zaza | Em 05 de Setembro de 2021 | NOTA: 6.5
  • Fantástico, filmagens realizadas em um só plano, roteiro simples e eficiente nos cativa e nos hipnotizam, um trio perfeito, tudo sequelado, mas que se completam na irresponsabilidade juvenil, um desfecho cabível e consequente, que através do desencontro, contempla angústia dos personagens… Excelente produção, irônico e inquietante eu não ter curtido as únicas duas obras de Jim Jarmusch, "Flores partidas" e "Amantes Eternos"...

    Rosana Botafogo | Em 29 de Agosto de 2021 | NOTA: 8.5
  • Jarmush já me ganha por sua estética peculiar com todos os trejeitos do cinema autoral da década de 60. Um filme simples, despretensioso e que mesmo sem ter muito a dizer consegue ser extremamente sincero.

    Eliezer Lugarini | Em 12 de Outubro de 2016 | NOTA: 7.0
  • 08/06/08

    Eduardo Scutari | Em 06 de Março de 2014 | NOTA: 7.0
  • Jarmusch trilha o caminho do sonho de vida americano de modo peculiar, mas no fim das contas, o vazio na vida daqueles personagens é tão vazio quanto o próprio filme.

    Ravel Macedo | Em 06 de Maio de 2013 | NOTA: 5.0
  • Segunda incursão alvissareira de Jim Jarmusch na direção em três atos memoráveis e uma sucessão de longos planos semiestáticos muito bem pensados. Uma pequena gema.

    Patrick Corrêa | Em 27 de Abril de 2013 | NOTA: 9.0
  • Seleto para quem aprecia o estilo cinema “Road”, sem roteiro.

    Gilberto C. Mesquita | Em 17 de Junho de 2011 | NOTA: 1.5
  • Enfadonho, monótono e pedante, como todo filme de Jim Jarmusch. A vontade de querer parecer "cool", "indie" com diálogos descompromissados são nada mais que masturbação cinematográfica. Dispensável.

    Juliano Mion | Em 31 de Dezembro de 1969 | NOTA: 4.0