Saltar para o conteúdo
8,5
Média
227 votos
?
Sua nota
Direção
Nicholas Ray
Roteiro:
Dorothy B. Hughes (argumento), Edmund H. North (adaptação), Andrew Solt (roteiro)
Gênero:
Drama, Romance, Suspense
Origem:
Estados Unidos
Duração:
94 minutos

Lupas (28)

  • Divisão entre pessoa e artista, com os dois lados em intersecção e dançando diante de nosso nariz. Dúvida e paixão vão subindo o tom no filme, com um terceiro ato doloroso e muito humano. O casal está um charme e a lição final é sobre escolhas em momentos de crise. Um filme de detalhes que fazem a diferença... E como é bom ator esse tal de Humphrey Bogart.

    Lucas Santos | Em 12 de Maio de 2020 | NOTA: 6.5
  • Mais um ótimo noir com densidade psicológica. A persona do protagonista fornece uma ambiguidade em volta do roteiro, levando o espectador a questionar se ele realmente não cometeu tal crime. No final, a história se desenrola de forma correta, trazendo um clímax que sintetiza toda agressividade daquele homem. Um filme cinzento como todo velho noir, e levemente selvagem e poético.

    César Barzine | Em 10 de Dezembro de 2019 | NOTA: 8.0
  • Mais um tesouro da coleção Bogart, o maior patrimônio do cinema. Enredo direto, muito bem contado e com conteúdo, envolve até o talo com seu charme - o noir clássico é saboroso demais. Tem detalhes incríveis, como o medo que ela vai sentindo crescer. Espetáculo de cena final. Encerramento arrebatador e definitivo.

    Adriano Augusto dos Santos | Em 15 de Fevereiro de 2019 | NOTA: 8.5
  • Com este “In a Lonely Place” e com “On Dangerous Ground”, Nicholas Ray se mostra como um dos cineastas que mais entende do homem moderno.

    Renato Abbt Keppe | Em 07 de Outubro de 2018 | NOTA: 9.5
  • Ainda que sirva como metáfora dos bastidores egocêntricos e violentos de Hollywood, o personagem de Bogart e seu estudo cuidadoso e sem pressa é o que mais interessa nessa trama dura, mas de momentos de beleza.

    Bruno Ricardo de Souza Dias | Em 14 de Outubro de 2017 | NOTA: 8.0
  • Difícil desgrudar os olhos da tela!

    Douglas Rodrigues de Oliveira | Em 14 de Abril de 2017 | NOTA: 9.0
  • Nicholas Ray parece colocar na tela seu demônio interior - um caminhar na beira do abismo. O filme transborda amargura, solidão e desilusão para com o mundo e as pessoas que o cercam. As vezes a vida é mera exposição do desabar das coisas. Sublime!

    Zacha Andreas Lima | Em 19 de Outubro de 2016 | NOTA: 9.0
  • Grande filme que peça por um único pecado... um final apressado que atrapalha um pouco o resultado final.

    Diego Mendes Rodrigues | Em 16 de Dezembro de 2015 | NOTA: 8.5
  • Poderosíssimo, os sentimentos que rompem e desrespeitam os limites da tela são atordoantes, e de uma história simples, Ray lhe arranca as entranhas. Daquelea filmes que só comprovam o poder de uma imagem. Bogart e Grahame também são fundamentais.

    Ravel Macedo | Em 16 de Julho de 2015 | NOTA: 9.0
  • Nãos mãos de vários outros diretores da época, certamente seria obra-prima mas infelizmente a limitação de Ray e o foco chulo nos personagens deixam um gosto amargo no final da exibição.

    Marcus Almeida | Em 14 de Maio de 2015 | NOTA: 6.0
  • Essa aura hollywoodiana das antigas, a presença de Humphrey Bogart e esse final romântico que consolida a impossibilidade do amor com frases marcantes lembra em muito "Casablanca" e não chega a dever tanto assim para o megaclássico.

    Diego Henrique Silveira Damaso | Em 27 de Fevereiro de 2015 | NOTA: 8.5
  • Um filme amargo, emocionalmente forte e pessoal.

    Vítor Miranda | Em 08 de Dezembro de 2014 | NOTA: 8.5
  • No fundo, é um filme que escapa a qualquer categoria. Feito de ambigüidades e silêncio - como escreve Eisenschitz - está tão longe das fórmulas de qualquer gênero como das afirmações sociológicas. “Movie on the movies.

    Edward Jagger DeLarge | Em 29 de Novembro de 2014 | NOTA: 8.0
  • Conduz um bom suspense, o problema está na conclusão que não pareceu se encaixar.

    Pedro Degobbi | Em 22 de Novembro de 2014 | NOTA: 7.5
  • 20/08/14

    Eduardo Scutari | Em 22 de Novembro de 2014 | NOTA: 8.5
  • Uma paixão fadada à desconfiança, envolta em um clima de sobressalto que garante a atenção em cada diálogo.

    Patrick Corrêa | Em 01 de Julho de 2014 | NOTA: 8.0
  • Os diálogos são ótimos, o personagem é excelente e reflete bastante a amargura da solidão, mas achei que o Ray derrapou em um ou outro momento. Grande filme, mas será mesmo que é um dos melhores da história?

    Daniel Mendes | Em 15 de Abril de 2014 | NOTA: 8.0
  • O estudo de personagem e os ótimos diálogos são o que fazem desse belo noir de Ray um filme acima da média dentro do subgênero.

    Gabriel Severo | Em 01 de Abril de 2014 | NOTA: 8.5
  • Coisa linda! Bogart cria um personagem complexo e instável emocionalmente, em uma atuação digna de um dos melhores de todos os tempos. Um legítimo e genial filme noir.

    Kaio Feliphe | Em 22 de Dezembro de 2013 | NOTA: 9.0
  • Caricatural, pungente, incontornável... Tal reunião de escolhas dramáticas revelam pouco a pouco uma mise en scène das mais poderosas e abrangentes já concebidas no Cinema.

    Caio Matheus | Em 04 de Junho de 2013 | NOTA: 10.0