Saltar para o conteúdo
8,0
Média
296 votos
?
Sua nota
Direção
Roteiro:
Spike Lee
Gênero:
,
Origem:
Duração:
120 minutos
Prêmios:
47° Globo de Ouro - 1990, 62° Oscar - 1990, 42° Festival de Cannes - 1989

Lupas (34)

  • Visceral..."Faça a coisa certa", mas qual é o certo a se fazer?

    Rosa | Em 24 de Outubro de 2020 | NOTA: 10.0
  • Impressão que Spike Lee tinha muito a dizer - como sempre -, mas aqui pouco usou à seu favor. A temática é boa, mas o filme samba e começa e termina onde começou. Lembrado mais pela excelente "Fight The Power", do Public Enemy, tocada no meio da rua pra lá e pra cá, perpassando o filme desde o prólogo.

    Lucas Santos | Em 16 de Maio de 2020 | NOTA: 6.5
  • Depois de divertidos momentos nas sujas ruas do Brooklyn, um murro na boca do estômago. Spike Lee sabe o que faz.

    André Oliveira de Araujo Ferreira | Em 22 de Março de 2020 | NOTA: 9.0
  • O clima de tensão é construído milimetricamente, até chegar a um clímax muito bem filmado. Amor x Ódio. E embora seja fácil repetir "faça a coisa certa", qual seria? Não dá pra dizer. A não violência pode se confundir com passividade, ao passo que a violência nos aproxima da irracionalidade. E é justamente por não dar tudo mastigado ao público, que este filme se eleva.

    Alan Nina | Em 15 de Março de 2020 | NOTA: 8.0
  • Que obra fundamental. Spike Lee fez o ativismo, as causas sociais, raciais entrarem numa narrativa divertida e emocionante. Conseguiu criar uma comunidade dentro de um filme, e apresentar histórias de vários moradores, com seus próprios problemas e preocupações. A crítica não foi óbvia nem pedante, foi um argumento construído ao longo de vários diálogos e expressões de seus personagens a cerca de sua rotina, do cotidiano do subúrbio. A mensagem final coroa um relato verdadeiro e humano.

    Eduardo Percequillo Freire de Souza | Em 16 de Novembro de 2019 | NOTA: 9.0
  • Há tantas alegorias eficientes que não da pra descrever somente um motivo para o filme de Spike Lee ser tão reconhecida mesmo depois de todos esses anos. Obra-prima necessária, daquelas que se perdura no pensamento coletivo e na memória cinematográfica. São por produções assim que o cinema pode ser chamado de arte conscientizadora, e é como as boas bocas dizem: a arte cura.

    Gabriel Fagundes | Em 22 de Outubro de 2019 | NOTA: 9.0
  • Teve um tom histérico me incomodando em determinados momentos, mas é muito bom!

    Daniel Mendes | Em 26 de Fevereiro de 2019 | NOTA: 8.0
  • Explosão de cultura negra estadunidense desde a cena inicial com os créditos, um exercício de estilo badass que representou o primeiro grande hit de Spike Lee. Progressão de enredo e construção de clímax excelentes.

    Diego Henrique Silveira Damaso | Em 22 de Dezembro de 2018 | NOTA: 8.0
  • Em seu melhor filme, Spike Lee mostra como a opressão racial é uma bomba que pode explodir a qualquer momento. Basta uma simples discussão de rua e toda tensão reunida ao longo de gerações desaba em violência. Convivência não é o forte da espécie humana.

    Zacha Andreas Lima | Em 13 de Dezembro de 2018 | NOTA: 9.0
  • Para se pensar: http://patagoniaufpe.blogspot.com/2007/08/faa-coisa-certa-por-andra-aquino.html

    Ygor Amarante Rodrigues Gouvêa | Em 13 de Julho de 2018 | NOTA: 10.0
  • Criativo tanto em narrativa quanto em visual, Lee dirige uma obra dinâmica, provocativa, descontraída, sem medo de expor seus comentários ousados sobre relações raciais, de forma divertidamente exagerada mas ainda assim fiel a vida real. Que obra prima

    Felipe Galeno | Em 26 de Maio de 2018 | NOTA: 10.0
  • O filme foi chato e entediante durante seu decorrer, entretanto nos 30 minutos finais valeu por todo o filme, tenso e realista, apesar de ter considerado os jovens baderneiros e preconceituosos mais que os carcamanos e os asiáticos...

    Rosana de Almeida Machado | Em 26 de Janeiro de 2018 | NOTA: 7.5
  • Lee, com inteligência e personalidade, transcende o importante discurso racial para falar sobre os efeitos do preconceito de forma universal, apontando a ignorância e a ausência de empatia como principais culpadas pela violência da sociedade. Grande obra.

    Diego de Mendonça Costa | Em 02 de Dezembro de 2017 | NOTA: 8.0
  • Um filme honesto à respeito da intolerância racial. Sua honestidade vêm basicamente de um mundo onde todas as raças são preconceituosas em relação às outras, sem coitadismos habituais de uma ou outra raça específica.O pavil está aceso e uma hora explodirá

    Eliezer Lugarini | Em 26 de Outubro de 2017 | NOTA: 7.0
  • Angustiante!

    Júlio César Filho | Em 05 de Junho de 2017 | NOTA: 8.5
  • Um filme quente, diferente, mas no fim, nada surpreendente.

    Luis Felipe | Em 02 de Setembro de 2016 | NOTA: 8.0
  • A mensagem é simples: menos ódio, mais amor. Infelizmente, foi preciso Lee investir em um grande elenco, ótimos diálogos, personagens e quebras de expectativa para entenderem isso. E ainda há muito o que compreender.

    Guilherme Algon | Em 05 de Junho de 2016 | NOTA: 8.0
  • "Fight the Power". Continua atual como nunca.

    Paulo Matheus | Em 21 de Janeiro de 2015 | NOTA: 8.0
  • Mesmo que se saia bem no discurso, colocando personagens defendendo ora Luther King ora Malcom X em suas essências, além dos claros problemas raciais (negros, brancos, latinos, asiáticos), falha como filme de gênero (não tem a menor graça).

    Bruno Ricardo de Souza Dias | Em 15 de Novembro de 2014 | NOTA: 6.5
  • Antes de 1994

    Eduardo Scutari | Em 02 de Novembro de 2014 | NOTA: 8.0