Saltar para o conteúdo

Última Noite de Boris Grushenko, A

(Love and Death, 1975)
?
Sua nota
Direção
Roteiro:
Woody Allen
Gênero:
,
Origem:
Duração:
85 minutos

Lupas (23)

  • É divertido, inteligente, visualmente requintado. Algumas piadas são de uma sagacidade exemplar. Mas ainda é um Woody Allen que não estava totalmente seguro. O todo é um pouco desconjuntado.

    Zacha Andreas Lima | Em 10 de Setembro de 2023 | NOTA: 7.0
  • A escolha de Woody Allen pela Rússia funda um dos momentos de humor mais exagerado, insólito e visual de sua carreira, além de "personagens de vilarejo" bastante excêntricos, o que, talvez não coincidentemente, eram marcas das comédias dramáticas dos países vizinhos para retratar os traumas da guerra. Para coroar, temos Allen e Diane Keaton completamente sincronizados e um falatório filosófico habilmente caricato ("To love is to suffer" é uma das minhas citações favoritas do cinema).

    Victor Tanaka | Em 18 de Fevereiro de 2021 | NOTA: 8.0
  • Mais um filme de Allen muito gostoso de se assistir; arranca várias risadas com um humor inteligente, tem um bom roteiro cheio de sarcasmo e uma abordagem filosófica sobre diversos assuntos.

    César Barzine | Em 05 de Agosto de 2017 | NOTA: 7.0
  • Allen, nutrindo-se de sua paixão pela cultura russa (em especial a literatura), produz um de seus textos mais explicitamente irônicos, num de seus habituais mixes de comédia e existencialismo. Aqui está a raiz do estilo que o consagraria.

    Diego Henrique Silveira Damaso | Em 14 de Janeiro de 2017 | NOTA: 7.5
  • É extremamente original, inusitado, divertido e cheio das costumeiras observações de Woody Allen a respeito, da vida, religião , morte e anti-belicismo. Há uma certa pantomima exagareda e nem todas as piadas colam mas há momentos brilhantes .

    Eliezer Lugarini | Em 12 de Dezembro de 2016 | NOTA: 7.0
  • Inspirado pra cacete, é dos mais divertidos de Woody. Explora muito o universo cultural russo e traz suas doses filosóficas em piadas e sacadas muito engraçadas (a morte é genial), sem perder o significado. Um rolo de fios...Não se incomode...Sua vez...

    Adriano Augusto dos Santos | Em 10 de Dezembro de 2016 | NOTA: 9.5
  • Dos tempos em que o Wood Allen dirigia bons filmes com certa frequência. Insanidade, iconoclastia e uma pitada de perversão. Considero um de seus melhores.

    Daniel Mendes | Em 22 de Junho de 2016 | NOTA: 7.5
  • Allen começa a escancarar suas então recentes influências da obra de Bergman em seus filmes, como O SÉTIMO SELO e PERSONA. Temperado com Dostóievski e Tolstoi, o cineasta ainda consegue render boas risadas e aprimora suas capacidades como roteirista.

    Fabio Bach | Em 06 de Junho de 2016 | NOTA: 7.0
  • Uma nova abordagem de Woody Allen, Love and Death mostrava que o diretor já amadurecia em questão de conteúdo.

    Luis Felipe | Em 29 de Janeiro de 2016 | NOTA: 8.5
  • Uma grande ironia com o lirismo que preenche nosso aparente "vácuo vazio" da vida, destrinchando pensamentos nonsense que acabam fazendo todo sentido. Uma divertida mescla de Allen filósofo e escrachado.

    Guilherme Algon | Em 15 de Março de 2015 | NOTA: 7.5
  • 15/05/09

    Eduardo Scutari | Em 09 de Março de 2014 | NOTA: 8.5
  • Woody brincando de ser Keaton, Buster Keaton, em um filme com vários closes de Keaton, Diane Keaton. Como não amar?

    Douglas Rodrigues de Oliveira | Em 05 de Novembro de 2013 | NOTA: 7.5
  • Allen escapa da guerra e filosofa sobre amor e sobre a vida numa Europa que logo é tomada por Napoleão. O plano frustrante de matar o imperador é divertidamente visto com questionamentos, e no final, o niilismo é o grande vencedor. Homenagem à Dostoievski

    Alan Nina | Em 29 de Outubro de 2013 | NOTA: 7.5
  • Embora nem sempre as piadas de cunho visual funcionem, o texto de Allen repleto de ironias e acidez, principalmente no início, rendem alguns dos momentos mais engraçados de sua carreira, perdendo força mais para o final.

    Douglas Braga | Em 11 de Agosto de 2013 | NOTA: 7.0
  • Risos espontâneos hoje nas comédias são cade vez mais difíceis. Esse pode não ter piadas certeiras uma atrás da outra, mas faz rir sendo simpático e delicado, além de trazer questionamentos sobre "Love and Death".

    Aylon Dutra | Em 17 de Junho de 2013 | NOTA: 8.0
  • Humor de primeira. melhor que os trabalhos anteriores de Allen. Uma bela e divertida reflexão sobre a morte e a vida.

    Guilherme Torres | Em 14 de Junho de 2013 | NOTA: 8.5
  • As mesmas piadas, os mesmos cacoetes, o mesmo personagem, os mesmos temas (apena em um contexto diferente), o mesmo pseudointelectualismo maçante, a filosofia rasteira habitual, as mesmas tiradas estúpidas sobre sexo... Alguém ainda acha isso engraçado?

    Lucas Delon | Em 12 de Junho de 2013 | NOTA: 5.0
  • Woody Allen, em seu auge cômico-criativo, realiza outra comédia hilariante, dessa vez, misturando fatos históricos com ótimas referências bergmanianas.

    Vinícius de Castro | Em 14 de Fevereiro de 2013 | NOTA: 8.0
  • Técnica: 9.5 Lógica artística: 10 Lógica científica: 8.5 Nota: 9.33

    Ma Rodrigues Barbosa | Em 20 de Setembro de 2012 | NOTA: 9.5
  • Allen aborda seus temas favoritos envoltos em uma roupagem russa, com tiradas de ironia genuína sobre amor e morte. O primeiro grande filme de sua carreira.

    Patrick Corrêa | Em 05 de Fevereiro de 2012 | NOTA: 8.5