Saltar para o conteúdo
7,9
Média
356 votos
?
Sua nota
Direção
Marcos Jorge
Roteiro:
Marcos Jorge, Lusa Silvestre, Cláudia da Natividade
Gênero:
Comédia, Drama
Origem:
Brasil, Itália
Duração:
100 minutos

Lupas (27)

  • Com o perdão do trocadilho, mas é um filme indigesto em todos os aspectos possíveis. O pior é que João Miguel passou vergonha e até hoje não sabe disso, pelo jeito.

    Lucas Santos | Em 06 de Março de 2022 | NOTA: 4.0
  • Cinema nacional ousado que passa de uma narrativa para outra com delicadeza e preparo, como se parafraseasse a cozinha e fosse aos poucos adicionando os ingredientes de um clímax semelhante a entrega dum belíssimo e completo prato principal.

    Gabriel Fagundes | Em 02 de Junho de 2019 | NOTA: 7.0
  • Uma inteligente e sofisticada história de aprendizado social na selva das grandes cidades (sendo a prisão apenas uma continuação do jogo). Mais um belo trabalho de João Miguel e Fabiula Nascimento.

    Zacha Andreas Lima | Em 08 de Janeiro de 2018 | NOTA: 8.0
  • Uma antifábula gastronômica que justapõe requinte e insalubridade, mostrando que ambos podem ser dois lados de uma mesma moeda.

    Patrick Corrêa | Em 15 de Dezembro de 2017 | NOTA: 8.0
  • Engraçado e original.Com uma história que surpreende.

    Araquem da Rocha | Em 07 de Dezembro de 2017 | NOTA: 7.5
  • Simples e cativante, João Miguel encarna bem o papel de um nordestino aparentemente bobo e ingênuo, o que acaba rendendo uma fábula sobre a vida em sociedade; onde vence quem sabe "cozinhar" e dominar o jogo. A narrativa paralela foi um grande acerto.

    César Barzine | Em 25 de Novembro de 2017 | NOTA: 8.0
  • Tem algo do humor negro dos irmãos Cohen aqui com uma mistura de comédia regionalista de tipos brasileira.É muito original e existem sacadas execelentes mas talvez seu desfecho caia na previsibilidade a qual esta história não permitiria ou não merecia.

    Eliezer Lugarini | Em 26 de Setembro de 2017 | NOTA: 7.5
  • ARQUIVO. CAUIM.

    Davi de Almeida Rezende | Em 25 de Abril de 2017 | NOTA: 3.0
  • A metáfora: "aprenda a cozinhar para que a sociedade não o devore", é muito bem desenvolvida no roteiro. João Miguel apesar de interpretar um esteriótipo não o permite ser uma caricatura.

    MORENO | Em 16 de Fevereiro de 2017 | NOTA: 8.0
  • Entra no meu Top 10 Nacional fácil!

    Alex Paiva | Em 20 de Agosto de 2016 | NOTA: 8.5
  • João Miguel arrebenta

    MOA MROCHA | Em 20 de Abril de 2016 | NOTA: 10.0
  • Um dos melhores filmes nacionais que existem! Marcos Jorge uniu uma bela direção com uma trilha sonora espetacular (que brinca com as trilhas de filmes de culinária) e fez um filme instigante, engraçado e divertido.

    Daniel Hilgrove Dumit Sewell | Em 22 de Novembro de 2015 | NOTA: 8.0
  • Apesar de ser estereotipada ao extremo, essa criativa fábula se sobressai como um filme acima da média do cinema comercial atual. João Miguel é um puta ator!

    Daniel Mendes | Em 22 de Outubro de 2015 | NOTA: 7.5
  • A digestão social, violenta e sem consessões, moe o indivíduo e o joga na privada do mundo, construindo ou desconstruindo um novo ser-humano. Grande arco de personagem, que ganha vida através de João Miguel, excelente ator.

    Ravel Macedo | Em 06 de Agosto de 2015 | NOTA: 8.5
  • Agradabilíssimo e hilário a maioria do tempo, o filme peca apenas por não se unificar como poderia. A economia narrativa só serve para deixar o resultado pra lá de satisfatório.

    Douglas Rodrigues de Oliveira | Em 06 de Outubro de 2014 | NOTA: 7.5
  • 17/01/09

    Eduardo Scutari | Em 09 de Março de 2014 | NOTA: 9.0
  • O jogo sentimental que estimula é quase igual à variedade de sabores que colocamos no prato cada dia. Roteiro, montagem, atuação, trilha, som, câmera... Um prato cheio! A gente é o que a gente come.

    Guilherme Algon | Em 22 de Janeiro de 2014 | NOTA: 8.5
  • Dos melhores filmes feitos no Brasil nos ultimos dez anos.

    Victor Narciso | Em 25 de Outubro de 2013 | NOTA: 9.0
  • O grande trunfo do filme é jogar com a imagem do migrante nordestino, geralmente visto como "bobo", mas que é um protagonista altamente consciente do que faz, chegando a envolver os outros (como o "chefe" da prisão). O desfecho é excepcional.

    Douglas Braga | Em 24 de Fevereiro de 2013 | NOTA: 7.0
  • um filme muito bom com dialogos simples, cenas bem adaptadas e final um tanto comico quanto surpreendente

    DIOGO HENRIQUE CABRAL LEITE | Em 03 de Dezembro de 2012 | NOTA: 7.5