Saltar para o conteúdo
?
Sua nota
Direção
Jules Dassin
Roteiro:
Auguste Le Breton (romance, roteiro e diálogos), Jules Dassin (roteiro), René Wheeler (roteiro)
Gênero:
Drama, Suspense
Origem:
França
Duração:
122 minutos
Prêmios:
8° Festival de Cannes - 1955

Lupas (17)

  • A síntese do homem que vive no fio da navalha.

    Zacha Andreas Lima | Em 25 de Setembro de 2023 | NOTA: 9.0
  • Filmaço onde os realizadores demonstram um controle absurdo da mis en scene. A excelência do assalto , desde o seu planejamento até a execução, deve ter sido o motivo do Tarantino "pular" esta parte em Cães de Aluguel.

    Luiz Henrique C. Batista | Em 06 de Março de 2022 | NOTA: 9.0
  • Interessante demais, bem filmado e muito bonito. A sequência do roubo é maravilhosa (com forçadas absurdas e fascinantes). Depois ainda vem um pedação de caçada e sequestro, tão envolvente quanto o anterior.

    Adriano Augusto dos Santos | Em 07 de Agosto de 2021 | NOTA: 8.5
  • Gosto das opções narrativas de Dassin, sua direção é elegante mas não foi um filme que conseguiu me causar frisson ou me fazer levantar da cadeira. Na realidade é exatamente o oposto, um filme de golpe um tanto frio e moroso ( o que não é necessariamente ruim) mas que não me empolgou.

    Eliezer Lugarini | Em 18 de Maio de 2020 | NOTA: 6.5
  • Um noir francês tipicamente americano, embora haja doses de cinema autoral, como na sensacional sequência silenciosa do roubo. Destaque também para a parte final.

    César Barzine | Em 09 de Dezembro de 2019 | NOTA: 8.0
  • Como único defeito fica o dispositivo que culmina na reviravolta, é óbvio e explicito demais. Fora isso, que filme bom! Carga dramática, atuações memoráveis e uma direção mão-pesada com muitas das melhores características do noir.

    Caio Santos | Em 08 de Julho de 2019 | NOTA: 8.5
  • Um roubo mudo e de aproximadamente 25 minutos: único.

    Renato Abbt Keppe | Em 26 de Novembro de 2017 | NOTA: 8.5
  • Além de toda a precisão técnica bastante notada em todas as cenas, incluindo a famosa sequência do assalto, o que mais chama a atenção no filme é que ele é de uma frieza, de um pessimismo, de uma tristeza impressionantes.

    Mateus da Silva Barros | Em 10 de Setembro de 2017 | NOTA: 9.0
  • A longa sequência silenciosa de roubo não pode deixar de ser mencionada, bem como a eletrizante reta final, mas um certo marasmo se abate sobre a narrativa em outros momentos, num aparente problema de montagem.

    Patrick Corrêa | Em 26 de Agosto de 2017 | NOTA: 7.5
  • 16/02/13 - A sequência do assalto é uma das cenas mais impressionantes do cinema.

    Eduardo Scutari | Em 01 de Maio de 2017 | NOTA: 8.5
  • Machista, com mulheres nulas, é verdade, mas é um filme genial. Teatral, bem dirigido, humanista e esquerdista, com muitos figuras e um herói com a cara do povo. A francesada deve ter pirado com os 35 min de silêncio durante o assalto. Filmaço

    Josiel Oliveira | Em 03 de Julho de 2015 | NOTA: 8.5
  • 40 ou 50 minutos de silêncio durante um roubo filmado com maestria coroam essa obra-prima dos filmes de assalto.

    Ravel Macedo | Em 18 de Maio de 2014 | NOTA: 9.0
  • Avô dos filmes mostrando roubos impossíveis, clássico francês é verdadeira aula de montagem e narrativa.

    Edward Jagger DeLarge | Em 09 de Fevereiro de 2014 | NOTA: 9.0
  • Um noir neo-realista italiano, cena do assalto inesquecível. https://www.youtube.com/watch?v=ltclyBg3bqI

    Vítor Miranda | Em 25 de Janeiro de 2014 | NOTA: 8.5
  • Filmaço de roubo e filmaço noir! A cena de roubo da joalheria é fantástica, assim como toda a seqüência final.

    Eduardo Vasconcelos Ferreira | Em 17 de Outubro de 2012 | NOTA: 9.5
  • Bem conduzido, o filme é interessante até a metade... Depois, o roteiro nos brinda com dois clichês típicos de"assalto planejado": algum cretino faz uma grande cagada e a ambição (aqui de outros vilões) acaba fazendo com que todos se matem.

    Gilberto C. Mesquita | Em 21 de Fevereiro de 2012 | NOTA: 6.0
  • Tony Stéphanois é o cara,e esse filme de assalto do Dassin é maravilhoso,nervoso,tenso e perfeitamente executado!

    LSM | Em 05 de Janeiro de 2012 | NOTA: 9.0