Saltar para o conteúdo
Direção
Peter Bogdanovich
Roteiro:
Polly Platt (argumento), Peter Bogdanovich (argumento e roteiro), Samuel Fuller (colaboração)
Gênero:
Ação, Drama, Policial, Suspense
Origem:
Estados Unidos
Duração:
90 minutos

Lupas (12)

  • Pouco lembrado hoje em dia. Mas é um dos melhores filmes a embalar as ideias e sensações da Nova Hollywood.

    Zacha Andreas Lima | Em 05 de Março de 2022 | NOTA: 8.5
  • Um produto de sua época, em que filme e "realidade" se digladiam e percebem em conjunto que suas motivações perderam o sentido. Do clímax absoluto ao exercício de metalinguagem sagaz, Bogdanovich se provou desde o início como um restaurador da narrativa cinematográfica.

    Guilherme Algon | Em 03 de Novembro de 2019 | NOTA: 8.0
  • Macabro mas interessante demais. Os pedaços com Karloff parecem deslocados mas se unem perfeitamente no final, sendo parte essencial da história. No lamento do ator do passado, sentindo a inversão que o terror de seus tempos sofreu, surge a prova de como a realidade é muito mais assustadora, quando os crimes diários são mostrados.

    Adriano Augusto dos Santos | Em 13 de Maio de 2019 | NOTA: 8.0
  • ótimo filme. atualíssimo e surpreende positivamente do começo ao fim da projeção.

    Rafael Vespasiano Ferreira de Lima | Em 16 de Abril de 2017 | NOTA: 10.0
  • O mundo que Bogdanovich traçou não é diferente do atual. A nova geração do cinema escanteando a geração passada, tratando-a como quinquilharia ultrapassada e assassinando qualquer valor que ela possa ter. O encontro do horror real com o lúdico do cinema.

    Eliezer Lugarini | Em 22 de Março de 2016 | NOTA: 7.5
  • 31/08/15

    Eduardo Scutari | Em 01 de Setembro de 2015 | NOTA: 8.0
  • É incrivel, cinema de primeira. A colaboração de Fuller é muito forte. Excelentes cenas, cheias de estilo, principalmente ao jogar com o que o espectador acha que está acontecendo. As sacadas com o Karloff são muito legais. Aula de filmar com limitações.

    Josiel Oliveira | Em 30 de Janeiro de 2015 | NOTA: 9.0
  • Uma obra-prima onde Bogdanovich faz várias metáforas sobre o cinema e seus efeitos na sociedade.

    Wellington Junior | Em 29 de Junho de 2014 | NOTA: 8.5
  • Cinéfilo que é, Peter faz uma crítica ácida e inventiva da tentativa de homicídio do clássico pelas mãos de uma geração jovem extrema e violenta, traçando um quadro do cinema anos 60, com referências, símbolos e evocando passado pra construir o presente.

    Bruno Kühl | Em 03 de Agosto de 2013 | NOTA: 9.0
  • Um filme menor de Bogdanovich, de sua boa fase; criativo, porém prescindível. Boris Karloff, já bastante acabado, morreria um ano depois.

    Lucas Delon | Em 12 de Abril de 2013 | NOTA: 5.0
  • A ficção perde sua magia e seu lugar, quando o maior monstro que se pode conceber é um rapaz confuso com um rifle. Ou, como disse Karloff: "É disso que eu tinha medo?"

    Polastri | Em 15 de Dezembro de 2011 | NOTA: 9.0
  • A ideia com certeza serviu de inspiração para muito psicopata! Pena que o roteiro não seja bem elaborado, explorando simplesmente um matador paranóico sem motivo aparente para sua carnificina.

    Gilberto C. Mesquita | Em 17 de Junho de 2011 | NOTA: 4.5