Saltar para o conteúdo
8,0
Média
29 votos
?
Sua nota
Direção
Roteiro:
Erskine Caldwell (romance), Jack Kirkland (peça), Nunnally Johnson (roteiro)
Gênero:
,
Origem:
Estreia:
31/12/1969
Duração:
84 minutos

Lupas (9)

  • O Ford Super De Luxe conversível Club Coupe do início de 1941, dirigido por Harvey Parry, sobreviveu à sua provação. Um funcionário do estúdio, Arthur Webb, comprou o conversível bastante danificado da 20th Century-Fox.

    LUCIANO BAHIA | Em 19 de Setembro de 2021 | NOTA: 8.0
  • Talvez seja bastante ingênuo e talvez não deva o devido respeito à uma das maiores crises econômicas do século passado mas conquistou em cheio por seu humor exagerado , por possuir uma observação lindíssima sobre o processo de modernização do mundo e por ser um grito por simplicidade e iniciativa individual.

    Eliezer Lugarini | Em 29 de Abril de 2020 | NOTA: 8.5
  • Tem um tom de nostalgia similar ao de Como Era Verde o Meu Vale, do mesmo ano, mas o funcional humor escrachado e os personagens ao mesmo tempo carismáticos e bastante problemáticos tornam este filme mais rico que o oscarizado.

    Augusto Barbosa | Em 11 de Agosto de 2018 | NOTA: 8.5
  • É o Make Way For Tomorrow de Ford. Apresentado no campo, em forma de comédia e, pessoalmente, melhor que o filme de Leo McCarey. Histriônico e anárquico, como os melhores momentos em Ford.

    Chcot Daeiou | Em 27 de Fevereiro de 2018 | NOTA: 9.0
  • Um filhote de As Vinhas da Ira. O humor do filme funciona muito bem, o que além de dar um certo carisma à obra, também gera um clima agradável, unindo inocência com o retrato social de uma época. O final é lindo, e os personagens são um show de empatia.

    César Barzine | Em 26 de Novembro de 2017 | NOTA: 7.5
  • É extremamente engraçado, os personagens são muito carismáticos, e o retrato de uma esperança e inocência que nunca acaba é bastante eficaz.

    Kennedy | Em 08 de Maio de 2016 | NOTA: 8.0
  • A mise-en-scène de John Ford é sempre um primor, planos e enquadramentos são elaborados com o intuito de dar corpo a narrativa. É tudo muito fluído e orgânico. ''Tobacco Road'' é produto dessa perícia. É o melhor do classismo.

    Zacha Andreas Lima | Em 24 de Junho de 2015 | NOTA: 8.0
  • Se ser diretor é saber contar histórias, então John Ford foi o maior contador de histórias de todos os tempos.

    Rafael Alves | Em 21 de Fevereiro de 2015 | NOTA: 9.0
  • 14/08/14

    Eduardo Scutari | Em 15 de Agosto de 2014 | NOTA: 8.0