Saltar para o conteúdo
Direção
Roteiro:
Terrence Malick (escrito por)
Gênero:
,
Origem:
Estreia:
26/07/2013
Duração:
112 minutos

Lupas (26)

  • Malick busca refletir sobre o amor e suas amplas possibilidades e fraquezas, mas o ritmo é tão chato, tedioso e repetitivo que essa reflexão acaba no fim se mostrando bem menos instigante do que parece.

    Bruno Ricardo de Souza Dias | Em 28 de Julho de 2017 | NOTA: 6.0
  • O irmão menor de A Árvore da Vida. Ainda que aparentemente redundante, Malick confirma aqui seu enorme talento em contemplar a vida, questionando temas como o amor, a fé e a esperança. De uma beleza ímpar, uma obra para ser sentida e refletida.

    Luiz F. Vila Nova | Em 30 de Junho de 2016 | NOTA: 7.0
  • 16/04/16

    Eduardo Scutari | Em 17 de Abril de 2016 | NOTA: 6.0
  • Assim como "A árvore da vida" esse filme é muito profundo e psicológico, vai além do meu reles entendimento, tocou levemente meu s2... como a bruma de outono, e só... muito confuso e desconexo...

    Rosana Botafogo | Em 06 de Julho de 2015 | NOTA: 6.5
  • Uma extensão de Tree of Life, no entanto, Malick perde a mão no desenvolvimento dos personagens, tornando impossível uma maior identificação com as questões e a encenação apresentada. Obs: Acorda, Affleck! McAdams, maravilhosa!!!

    Samuel Martins Ribeiro | Em 19 de Julho de 2014 | NOTA: 7.5
  • Etéreo.

    Vítor Miranda | Em 21 de Janeiro de 2014 | NOTA: 6.5
  • Os filmes do Malick foram abaixando de qualidade na mesma proporção que ele diminuiu o intervalo de tempo entre suas obras. Uma pena.

    Wellington Junior | Em 14 de Janeiro de 2014 | NOTA: 5.0
  • Embora restrito a um tipo particular de amor (não tão pleno assim), o estilo peculiar de Malick combina com a temática, do encantamento a separação, e tudo muito belo e poético. Cinemao.

    Alan Nina | Em 14 de Janeiro de 2014 | NOTA: 8.5
  • Amplifica, de maneira quase insuportável, os problemas que "A Árvore da Vida" já tinha, sem trazer consigo também as qualidades. Uma obra menor e que, excetuando-se a bela fotografia, nunca alcança seu potencial.

    Gabriel Frati | Em 10 de Janeiro de 2014 | NOTA: 5.0
  • As reviravoltas da trama, pontuadas basicamente por mudanças bruscas de comportamento dos protagonistas, não oferecem a naturalidade buscada pelo realizador, e o argumento principal dá voltas e voltas sem chegar a um lugar mais específico.

    Edward Jagger DeLarge | Em 30 de Dezembro de 2013 | NOTA: 3.0
  • Com a estrutura mais simples, Malick se foca mais na busca por uma orientação divina, e aí se permite também desafiar, dissecar e criticar seu próprio processo no meio do caminho, com toques pessimistas que fazem, sim, diferença.

    Vinícius Aranha | Em 12 de Dezembro de 2013 | NOTA: 8.0
  • Às eternas lacunas.

    Patrick Corrêa | Em 05 de Dezembro de 2013 | NOTA: 9.0
  • O cinema contemplativo de Malick está cada vez mais filosofal e intimista. No entanto, parece que nem ele mesmo sabe o que a beleza de suas imagens significam.

    Gilberto C. Mesquita | Em 04 de Dezembro de 2013 | NOTA: 1.5
  • Visual perfeito, cenas bacanas, interpretações corretas, e só. No final ficamos sem entender muita coisa. Árvore da vida é um espetáculo em todos os sentidos, esse é um deleite para os olhos, somente.

    Saulo Lourenço Vital | Em 19 de Outubro de 2013 | NOTA: 2.0
  • Jamais diria que To the Wonder é vazio, mas sim que, por vezes, falha em transmitir o que veio a dizer. Seja por ser introspectivo demais ou por simplesmente nos fazer, em alguns momentos, perder a vontade de descobrir.

    Vanessa Soria | Em 13 de Outubro de 2013 | NOTA: 6.5
  • Malick nos presenteia com um filme sobre amor, incertezas, conflitos. Um filme sobre a vida. E que fotografia!

    Daniel Oliveira | Em 14 de Setembro de 2013 | NOTA: 8.0
  • Há muitas formas complicadas de se amar... Algumas sentimos com um beijo... Algumas vislumbramos pelo olhar... Algumas nos emocionam através de gestos altruístas... Para todas estas e outras, existe MalickCard.

    Vinícius de Castro | Em 09 de Agosto de 2013 | NOTA: 8.0
  • Um documentário da Discovery com pretensões filosóficas. Soporífero.

    Guilherme Vasconcelos Ferreira | Em 06 de Agosto de 2013 | NOTA: 4.0
  • Certamente é um filme belíssimo, visualmente. O drama se desenha lentamente, mas nunca encontra sua voz em meio à estética confusa de Mallick. O resultado é uma história que poderia ser interessante, mas que é abortada antes que possa dizer algo.

    Thiago Lopez | Em 06 de Agosto de 2013 | NOTA: 5.0
  • Não tem a mesma consistência e magnitude das outras obras de Malick, mas continua um trabalho de esplêndida fotografia, preciosa aura transcendental e questionamentos sobre a inconstância do amor, a incerteza da fé, a balança entre o tempo e a vida.

    Bruno Kühl | Em 06 de Agosto de 2013 | NOTA: 7.0