Saltar para o conteúdo
Direção
Nanni Moretti
Roteiro:
Nanni Moretti (história e roteiro), Valia Santella (história e roteiro), Francesco Piccolo (roteiro), Gaia Manzini (história), Chiara Valerio (história)
Gênero:
Drama
Origem:
França, Itália
Estreia:
17/12/2015
Duração:
106 minutos
Prêmios:
68° Festival de Cannes - 2015

Lupas (18)

  • Não sei mt bem o que levar desse filme desconjuntado do Moretti, mas há algo de intuitivo em determinados momentos e certa espontaneidade nos personagens (como se o diretor fosse um anfitrião amistoso e generoso) que se sentem à vontade.

    Daniel Mendes | Em 06 de Junho de 2021 | NOTA: 7.0
  • Tema batido, com exceção de MARGUERITA BUY, o filme é de uma mesmisse entendiante.

    ADEMAR FERREIRA BESSA | Em 06 de Maio de 2017 | NOTA: 4.0
  • O vai e vem entre o pessoa e o profissional da protagonista não gera o impacto da desordem de sentimentos ali presentes. O resultado é pouco fluido e lento.

    Pedro Luis Santos Miranda | Em 28 de Fevereiro de 2017 | NOTA: 4.5
  • O excesso de subtramas enfraquece o todo, mas o plot central é rico o suficiente pra fazer o filme valer a pena, com algumas cenas realmente marcantes. Alguns momentos de humor, embora engraçados, soam deslocados e fora do tom.

    Felipe Lima | Em 12 de Janeiro de 2017 | NOTA: 6.5
  • Moretti balanceia seu filme entre realidades paralelas e tempos distintos da vida (a montagem é vital), enquanto Buy transita entre o que ela é e o que ela atua. E, organicamente equilibrado, o roteiro sustenta o drama, a comédia e a homenagem ao cinema.

    Renato Abbt Keppe | Em 25 de Maio de 2016 | NOTA: 8.0
  • A busca por significados é tortuosa, por vezes delirante. Nanni Moretti está nesta busca, construir sem afastar - processo de reavaliação da vida (e também do próprio método artístico). No fim resta continuar o caminho, incompleto, mas é o que temos...

    Zacha Andreas Lima | Em 22 de Março de 2016 | NOTA: 8.5
  • Com muita sobriedade e delicadeza, Moretti aborda os recônditos da intimidade sem cair no patético e,assim, encontra o universal.

    Edward Jagger DeLarge | Em 27 de Fevereiro de 2016 | NOTA: 8.0
  • Moretti constrói mais um filme doloroso e angustiante sobre a chegada da morte, como se lida com ela e o desejo utópico de agir de forma diferente, a falta de controle do cineasta que se torna irrelevante diante da falta de controle do homem com a vida.

    Eliezer Lugarini | Em 15 de Fevereiro de 2016 | NOTA: 8.5
  • Moretti cria uma personagem profunda, ainda que ganhe mais camadas sustentada no desempenho de Buy. Porém alguns arcos apenas flutuam em torno da protagonista e no fim soam desnecessários, tirando boa parte do possível impacto da história.

    Ravel Macedo | Em 27 de Janeiro de 2016 | NOTA: 6.5
  • Turturro está completamente fora do tom e as aparições de seu personagem apenas retiram força da bem construída discussão sobre a morte. Apesar disso, pode-se dizer que Moretti acertou mais uma vez.

    Gabriel Frati | Em 12 de Janeiro de 2016 | NOTA: 7.0
  • Giulia Lazzarini compõe uma Ada tão crível que o espectador imerge em seus últimos dias sentindo-se parte daquela família. Turturro - o escape cômico- se mostra outro grande acerto.

    Álvaro | Em 05 de Janeiro de 2016 | NOTA: 8.0
  • O filme aborda um tema delicado (a morte), sem cair no melodrama e sem apelar, o que já é um mérito. O destaque negativo do filme é John Turturro, em sua pior atuação dos últimos tempos.

    Leandro Moura Lima | Em 30 de Dezembro de 2015 | NOTA: 8.0
  • Moretti destrincha as angústias de sua protagonista em lindo estudo de personagem utilizando-se do fluxo de consciência para misturar sonhos, recordações e realidade, e exponenciar a dor da perda iminente. Simplesmente arrasador. Buy sensacional.

    Augusto Barbosa | Em 22 de Dezembro de 2015 | NOTA: 8.0
  • Turturro faz um papel complicado e acho que em alguns momentos está fora de tom. E é a única coisa que me incomodou no filme. Margherita Buy está soberba. Moretti faz Cinema dos grandes e está em seu auge.

    Caio Santos | Em 26 de Novembro de 2015 | NOTA: 9.0
  • Não possui nenhuma cena de grande impacto, mas o filme inteiro é de uma sensibilidade imensa, recheado de emoções sutis. Moretti consegue como ninguém (ou como Allen conseguia antigamente) retratar momentos difíceis e intercala-los com outros de leveza.

    Vanessa Soria | Em 19 de Outubro de 2015 | NOTA: 9.0
  • Moretti preguiçoso e desinteressante. Não se aprofunda nem nas relações familiares, como o título sugere, nem na porção metalinguística. Que filme Margherita estava dirigindo, afinal?

    Patrick Corrêa | Em 19 de Outubro de 2015 | NOTA: 5.0
  • Moretti entrega uma obra que cria tantos alívios cômicos para a trama central que em algum ponto a sessão obviamente se tornaria tediosa. Homenageia muito desleixadamente tanto família quanto arte e conhecimento.

    Gabriel Fagundes | Em 19 de Outubro de 2015 | NOTA: 5.0
  • 05/10/15

    Eduardo Scutari | Em 18 de Outubro de 2015 | NOTA: 7.5