Saltar para o conteúdo
Direção
Roteiro:
Gaspar Noé
Gênero:
, ,
Origem:
,
Estreia:
10/09/2015
Duração:
124 minutos
Prêmios:
68° Festival de Cannes - 2015

Lupas (24)

  • Que necessidade, desnecessária de ficar expondo "rolas". Sou mais Calígula.

    eduardo luiz teixeira | Em 28 de Junho de 2021 | NOTA: 2.5
  • Gaspar Noé traz com sua câmera diferenciada uma visão impactante sobre o amor, os problemas da relação e as relações sexuais. Tem cenas muito marcantes, enquadradas numa grande fotografia. É sobre um casal que experimentou de tudo, mas acabou ficando sem aquilo que realmente importava.

    Lucas Alves | Em 08 de Maio de 2021 | NOTA: 8.0
  • Um filme doente.

    Gabriel Cine | Em 20 de Dezembro de 2020 | NOTA: 1.0
  • É estranho o que vou dizer. Repito, é estranho o que vou dizer: esse filme, além de polêmico, não nasceu para ser avaliado. Ele apenas nasceu. É o sentimento do protagonista - e das coadjuvantes - transposto em tela, transformado em tela (com ou sem preconceito). Gostar ou não é um detalhe irrelevante. Retrato pesadíssimo do que é - ou pode ser - o amor.

    Lucas Santos | Em 15 de Maio de 2020 | NOTA: 8.5
  • A primeira metade do filme é atraente e sensível, depois disso o filme cai de mais no enrendo que tenta trazer explicações desnecessárias em meio a amontoadas sequências de cenas de sexo que já não tem mais a mesma harmonia com o grande início do filme.

    André Policarpo | Em 02 de Maio de 2020 | NOTA: 6.5
  • Um longo ensaio de 2h mostrando o que é cinema ruim, parabéns, tá tudo certo

    Luis Felipe | Em 08 de Outubro de 2017 | NOTA: 0.5
  • Assisti Love logo na época em que ficou disponível na internet mas nunca votei porque não conseguia achar uma nota "justa" para o filme. Mais de 1 ano depois, cheguei à conclusão de que o cinema de Noé é mais irritante do que polêmico, assim como Love.

    Pedro Degobbi | Em 01 de Agosto de 2017 | NOTA: 4.0
  • Eu gosto de Gaspar Noé haha. Esse filme mesmo que me pareça inferior ao anterior Enter The Void em todos os sentidos ainda tem uma narrativa coesa na sua proposta que prende a atenção até o fim com sua história de amor, sexo e desespero.

    Caio Santos | Em 10 de Julho de 2017 | NOTA: 7.0
  • Cheio de auto-referências, Noé discute o amor e suas consequências irracionais tendo o sexo e o ciúme como o fio condutor, porém não consegue se aprofundar muito e exagera em momentos gratuitos durante todo o filme.

    Bruno Ricardo de Souza Dias | Em 06 de Abril de 2017 | NOTA: 6.5
  • Ah, Gaspar, Gaspar... O que dizer? Se era alguma tentativa de sexualizar o amor por meio do vídeo (como idealiza o protagonista), os personagens borocochôs implodem o intuito; mas se foi algo mais filosófico,ficou oculto no papo-cabeça interminável.

    Gilberto C. Mesquita | Em 05 de Janeiro de 2017 | NOTA: 0.5
  • Mesmo com o sexo explícito é sensível e trás um caso interessante sobre um homem que perdeu seu amor. Há cenas desnecessárias (o close para 3D passa do limite),mas certas imagens desnudas caem bem ao falar da saudosa relação - afinal fazem falta também.

    Adriano Augusto dos Santos | Em 19 de Julho de 2016 | NOTA: 8.0
  • O filme se comunicaria muito melhor com o espectador se não tivesse nenhum diálogo.

    Vítor Miranda | Em 22 de Maio de 2016 | NOTA: 4.0
  • Uma história de amor comum, com traição e arrependimento, o pornô e sexo explícito que seria o diferencial, decepciona. Ainda tem os tiques e as masturbações fílmicas do diretor.

    Anderson de Souza | Em 06 de Março de 2016 | NOTA: 5.5
  • Enquanto Noé não se preocupa em ficar se punhetando e/ou investindo em cenas de sexo estilizadas, existe uma intensa conto de amor com muitas camadas de sofrimento.

    Vinícius de Castro | Em 23 de Fevereiro de 2016 | NOTA: 6.0
  • Se no sufocante Irreversível, Noé usava da violência gráfica como exercício artístico, aqui recorre para o sexo explícito. É sim uma forma de arte, não fosse os personagens extremamente aborrecedores e roteiro vazio.

    Marques Chery M.K | Em 13 de Fevereiro de 2016 | NOTA: 4.0
  • 12/02/16

    Eduardo Scutari | Em 13 de Fevereiro de 2016 | NOTA: 5.5
  • Debaixo da capa do sexo e do voyeurismo, pulsa uma história de amor e desilusão. Mas é difícil localizá-la.

    Patrick Corrêa | Em 04 de Fevereiro de 2016 | NOTA: 5.0
  • O egocentrismo de Noé é incômodo, quase risível, e embora ao final consiga passar sua mensagem e realmente seja um filme diferenciado, a falta de empatia com o casal e a redundância e futilidade da história tornam 'Love' bem menos do que pensa ser.

    Bruno Cavalcanti | Em 08 de Dezembro de 2015 | NOTA: 6.0
  • Noé continua indulgente, excessivo. Protegido pela polêmica do sexo explícito, "Love", no fundo, revela-se bastante careta. Seus personagens passam boa parte do filme discutindo a relação.

    Edward Jagger DeLarge | Em 06 de Dezembro de 2015 | NOTA: 7.0
  • Sim, é uma masturbação sem fim por parte do diretor que, não cansa das auto referências uma atrás da outra, contudo é um filme excepcional.

    Cleber Eldridge | Em 04 de Dezembro de 2015 | NOTA: 8.5