Saltar para o conteúdo
Direção
Felipe Sholl
Roteiro:
Felipe Sholl
Gênero:
Drama
Origem:
Brasil
Estreia:
13/07/2017
Duração:
92 minutos

Lupas (7)

  • Freud ficaria orgulhoso desse filme. O complexo de Édipo em desdobramentos que geram estranhamento no espectador.

    Lucas Alves | Em 18 de Julho de 2020 | NOTA: 7.5
  • Uma história de amor pouco convencional e retratada de forma menos convencional ainda, encanta pela leveza e pela verdade das atuações. A fluidez da narrativa (graças a uma abordagem bem naturalista), os diálogos secos, a valorização das trocas de olhares, a exploração do som ambiente em detrimento da trilha sonora, tornam a experiência de acompanhar os personagens bastante real, apesar da improbabilidade de alguns acontecimentos.

    Kennedy | Em 13 de Abril de 2020 | NOTA: 8.0
  • Roteiro fraco, querendo abordar muita coisa em pouco tempo. E o excesso de plano fechado é irritante.

    Fernando Meurer | Em 23 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 4.0
  • Um filme lindo, bem realista, me senti meio Ângela, não pelo lado depressiva, mas pelo lado papa anjo, kkkk, adoro... As conflitos de um adolescente, uma família desunida, uma mulher depressiva, excelentes ingredientes... Linda música Tudo o Que a Vida me

    Rosana Botafogo | Em 09 de Abril de 2019 | NOTA: 8.0
  • Personagens centrais detestáveis e mal trabalhados em um enredo de rumos absurdos, de condução excessivamente aberta. Deixou muito a desejar.

    Patrick Corrêa | Em 29 de Novembro de 2017 | NOTA: 4.0
  • É preciso coragem para trazer temas como os aqui abordados para a telona (sinceramente, para qualquer arte) e a quase fluidez com que as coisas se desenrolam é admirável. Esse aqui no cinema deve ter sido uma experiência e tanto.

    Gabriel Frati | Em 30 de Outubro de 2017 | NOTA: 6.5
  • Inconveniente na medida certa, aqui há uma áurea de estranheza do início ao fim, e carrega todos os dramas com uma ironia subcutânea quando vemos aquela relação estranha soando como um conto de fadas torto. Reflexivo sobre desenvolvimentos psicosexuais.

    Gustavo Hackaq | Em 29 de Outubro de 2017 | NOTA: 7.0