Saltar para o conteúdo

Menino que Matou meus Pais, O

(Menino que Matou meus Pais, O, 2020)
5,3
Média
37 votos
?
Sua nota
Direção
Roteiro:
Ilana Casoy, Raphael Montes
Gênero:
,
Origem:
Estreia:
31/12/1969
Duração:
90 minutos

Filmes Relacionados

Lupas (9)

  • Não importa a ordem, quando você vê o segundo, ambos pioram. Copia e cola de um e outro e só deixa um pouco diferente para parecer instigante. No fim, todo o potencial fica ali, na espreita. Um grande filme de tribunal de 2h30, uma minissérie de suspense psicológico... Sobraram duas seleções de cenas inacabadas.

    Guilherme Algon | Em 18 de Outubro de 2021 | NOTA: 4.0
  • Carla Dias em atuação melhor do que no BBB. Fora isso, é a mesma bomba que o outro filme.

    Gabriel Cine | Em 06 de Outubro de 2021 | NOTA: 1.5
  • Não faz muito sentido que este filme tenha sido tão pessimamente recebido no Brasil a não ser pela crítica adorar o que é feito de fora, e de ter pouquíssima sensibilidade com o que se produz aqui. Diaz praticamente muda todos os seus olhares e jeitos de um filme para outro; Leonardo B. muito mais e para mim foi a grande revelação deste dueto de filmes. Sua fraqueza está em sua conclusão, não em seu desenvolvimento.

    Mateus da Silva Frota | Em 04 de Outubro de 2021 | NOTA: 6.0
  • Eu não via Carla Diaz enganando tanta gente assim desde o suposto poder dela quando voltou do quarto secreto.

    André Araujo | Em 27 de Setembro de 2021 | NOTA: 5.0
  • - 367º filme de 2.021! Visto em 27/09 (o 36º filme do ano visto no Amazon Prime Video; o 21º filme nacional do ano)... - Bom... - Assisti com um pé atrás e por causa da Carla Diaz e tive uma grata surpresa, tanto com o filme, quanto com a atuação dela, muito boa, apesar de um ou outro exagero! É uma boa produção no geral, que vale uma sessão! E vamos pra outra versão da história...

    Thiago Soares Mota | Em 27 de Setembro de 2021 | NOTA: 7.5
  • Interessante a forma como foi narrada a versão trazida por Suzane. Para aqueles que desconhecem o caso, a narrativa é até mesmo plausível, embora não coloque Suzane como inocente na história, apenas coagida. Mérito também para a atuação de Carla Diaz, muito talentosa.

    Lucas Alves | Em 27 de Setembro de 2021 | NOTA: 7.5
  • Infelizmente, o cinema ao longo de sua ainda breve história, se consolidou como uma fonte prioritária de diversão, usando até crimes graves pra entreter o público que, na sua imensa maioria, é de debiloides. Mas no Brasil, essa chaga do cinema toma contornos ainda mais repugnantes. Não é errado retratar o crime, desde que com ética e no tom certo. Aí entregam o roteiro para um diretor de comercial e o sujeito faz o que? O óbvio, glamuriza um dos mais graves crimes do Brasil. Prime 25-09-2021.

    Davi de Almeida Rezende | Em 26 de Setembro de 2021 | NOTA: 0.0
  • Este é um pouco superior por uma simples razão: Carla Diaz. Sua entrega tentando convencer (e quase o faz) está sensacional, e é incrível como ela muda no outro filme. Com roteiros similares, poderia até ser um único filme, mas gostei da proposta. Não há a versão correta, pois tem como base os depoimentos do casal, o que torna clara a projeção de culpa e o vitimismo dos dois em suas respectivas visões. Ao centrar no romance, o acerto veio pela química do casal, mas tornou o filme mais limitado.

    Alan Nina | Em 26 de Setembro de 2021 | NOTA: 7.5
  • Assistindo na sequência sugerida, eu sou completamente influenciável, complemente ludibriada pela versão, e pela atuação fantástica de Carla Diaz, pobi Suzane, menina de bom coração manipulada (SQN), que tudo soa justificável nas ações de Suzane, muito boa a produção, simples e eficiente, objetiva e convincente, bora para outra versão, a verdadeira, talvez…

    Rosana de Almeida Machado | Em 26 de Setembro de 2021 | NOTA: 9.0