Saltar para o conteúdo

Diabo de Cada Dia, O

(The Devil All the Time, 2020)
7,4
Média
106 votos
?
Sua nota
Direção
Antonio Campos (II)
Roteiro:
Antonio Campos (II) (roteiro), Paulo Campos (roteiro), Donald Ray Pollock (romance)
Gênero:
Drama, Suspense
Origem:
Estados Unidos
Estreia:
15/09/2020
Duração:
138 minutos

Lupas (19)

  • Baita filme subestimado, tramas e subtramas se encaixam sem muita dificuldade... Personagens muito interessantes, Pattinson brilhante, como a maioria do elenco.

    MOA MROCHA | Em 27 de Fevereiro de 2022 | NOTA: 8.0
  • O roteiro foi adaptado do romance de 2011 "The Devil All the Time" do autor Donald Ray Pollock, que também dublou a narração no filme. Foi a primeira vez que ele narrou, nem mesmo fez o trabalho de voz para seus próprios audiolivros.

    LUCIANO BAHIA | Em 13 de Dezembro de 2021 | NOTA: 6.0
  • Uma interessante fusão de Magnólia com Seven. Tem uns problemas aqui e ali, mas no geral o saldo é positivo. Ótimas atuações do elenco estrelado, com destaque óbvio para Tom Holland, que consegue se despir da sombra de seu papel mais famoso e entrega um trabalho bem sólido, desaparecendo em seu Arvin Russell. Narrativa um pouco atrapalhada e ritmo lento demais em algumas cenas, mas a força da trama central compensa. Enfim, não é nenhuma Obra-prima, mas é um neo-noir eficiente.

    Jonas Bittencourt S., Jr. | Em 25 de Outubro de 2021 | NOTA: 7.0
  • Acredito que um filme passa bem sua mensagem quando ele se torna incômodo em sua proposta. Esse é um deles.

    Giélen Carvalho | Em 14 de Junho de 2021 | NOTA: 9.0
  • Começa com boas promessas e um clima constante de desconforto, amarrando bem suas histórias e explorando bem a dualidade da fé, suas distorções e fanatismos, sem soar óbvio. Lá pelas tantas esse propósito se perde numa espécie de faroeste canhestro, cheio de didatismos narrativos. Os vários personagens se misturam, se confundem e morrem antes que possamos compreendê-los melhor.

    Guilherme Algon | Em 20 de Março de 2021 | NOTA: 6.5
  • O retrato de um ciclo de violência e psicopatia religiosa, entrelaça histórias que em algum nivel trazem reações com fanatismo e um sadismo humano, ganância, egoísmo, um leque de tudo que tem de pior no ser humano, sem muito espaço pra redenção, a narração me pareceu dedundante e incomoda as vezes, as atuações estão em alto nivel, muito bom filme.

    Fabio Luis Martins Rafo | Em 17 de Março de 2021 | NOTA: 7.0
  • Holland e Pattinson Mostram aqui, mais uma vez, serem grandes atores em um filme sempre interessante.

    Gabriel Cine | Em 17 de Março de 2021 | NOTA: 7.0
  • Apenas as atuações já valeriam o filme, mas a obra como um todo gratifica o espectador com suas resoluções nada conciliatórias

    Vinicius de Moraes | Em 21 de Janeiro de 2021 | NOTA: 8.0
  • Um conto soturno sobre moralidade, fé, valores familiares e sexo. Cozinhando de forma lenta a relação do homem com a agressividade do mundo que o cerca. Melhor do que eu esperava

    Daniel Lucena | Em 12 de Novembro de 2020 | NOTA: 9.0
  • O filme peca pelo número extenso de personagens e algumas conveniências do roteiro, mas nada disso consegue defenestrar o seu brilho. Trata-se de um filme preocupado da atmosfera, em desenvolver os seus personagens, para consequentemente desenvolver aquele mundo empoeirado e cruel. Destaque também para o ótimo elenco.

    Caique Nogueira | Em 18 de Outubro de 2020 | NOTA: 8.0
  • O ritmo é bom, porém nem todos tratamentos e resoluções de tantos personagens são satisfatórios, mas nada que estrague essa interessante trama que expõe a hipocrisia religiosa e o vício da violência.

    Bruno Ricardo de Souza Dias | Em 18 de Outubro de 2020 | NOTA: 7.5
  • Ainda que tenha um final entre "inconclusivo" e "sem graça", a execução toda é poderosa, com uma excelente presença do jovem Holland (quem diria!). De fato, o fanatismo nos faz cometer loucuras, e em nome de Deus é possível se cometer as maiores atrocidades.

    Alan Nina | Em 12 de Outubro de 2020 | NOTA: 9.0
  • Uma interessante fusão de Magnólia com Seven. Tem uns problemas aqui e ali, mas no geral o saldo é positivo. Ótimas atuações do elenco estrelado, com destaque óbvio para Tom Holland, que consegue se despir da sombra de seu papel mais famoso e entrega um trabalho bem sólido, desaparecendo em seu Arvin Russell. Narrativa um pouco atrapalhada e ritmo lento demais em algumas cenas, mas a força da trama central compensa. Enfim, não é nenhuma Obra-prima, mas é um neo-noir eficiente.

    Jonas Furtado Bittencourt | Em 03 de Outubro de 2020 | NOTA: 8.0
  • A construção da minúscula cidade permite as coincidências que ocorrem durante o longa. Independente do núcleo em cena, todos estão mergulhados na violência e existe uma separação bem desenvolvida entre boas e más pessoas nesse ambiente. O ritmo é ótimo e Campos consegue montar um belo roteiro na divisão entre o grande elenco. As histórias de cada personagem são desenvolvidas, umas melhores que outras, mas chegam ao objetivo de retratar um conto de ódio, imperdoável, rodeado pela fé desesperada.

    Eduardo Percequillo Freire de Souza | Em 24 de Setembro de 2020 | NOTA: 7.5
  • Adoro Tom e admiro o trabalho de Bill e Harry, mas pqp me colocaram o POKEY fucking LAFARGE no filme! Como não achar isso genial? Pokey é um música de primeira linha, feliz de vê-lo aqui e atuando bem também. Adorei a História por mais triste que ela seja, filme bem no estilo que curto.

    João Davi Minuzzi | Em 23 de Setembro de 2020 | NOTA: 9.0
  • Com um uso excessivo e desgastante de narração, algumas conveniências de roteiro, personagens femininas subdesenvolvidas e subaproveitadas, e um mundo um tanto caricato por uma maldade excessiva e falta de contrapeso(o que também ocorre no filme "Joker"). Mas, é um fiel retrato de como a religião e fé podem cegar seus fiéis e serem usadas para justificar atrocidades. Interessante ver como o ciclo de violência é herdado e ensinado, servindo de base para um mundo corrompido.

    Pedro Felipe Pereira | Em 21 de Setembro de 2020 | NOTA: 6.0
  • Só por essa sinopse eu já me apaixonaria, pessoas estranhas e bizarras no cinema me atraem, e aqui de forma brilhantemente desenvolvida, a narração dá vida e roteiriza de forma brilhante as idas e vindas no passado, através das histórias que se entrelaçam de forma harmoniosa, intensa, divertida e extremamente dramática e cativante, os personagens, embora extravagantes e exagerados, são carismáticos, roteiro perfeito, excelente produção...

    Rosana de Almeida Machado | Em 19 de Setembro de 2020 | NOTA: 9.0
  • A primeira parte se alonga demasiadamente mas em um determinado momento o filme embala. A boa montagem e a utilização de uma linha temporal não linear são bem conduzidas com o auxílio de flashbacks e narração off que nunca pesam ou quebram o clima do filme. Apesar de pequena, as interações dos personagens de Robert Pattinson e Tom Holland são um dos pontos altos, inclusive rendendo a melhor cena do filme.

    Rodrigo Miranda de Andrade | Em 19 de Setembro de 2020 | NOTA: 7.5
  • Tem muito dos Coen. A violência que gera mais violência, em um pais onde o sangue escreve parte gigante de sua historia. Passando de geração em geração, de rua em rua, assim estruturando uma sociedade em que em muitos lugares ainda é regida pela crendice e pela força bruta (física/mental). A cena final é foda demais e coloca um cinismo de achar que encontrou algum tipo de reconforto, paz ou entendimento sobre tudo sendo também educado e produto desse ambiente. A narração poderia menos usada.

    Leonardo Ferreira Sampaio | Em 17 de Setembro de 2020 | NOTA: 7.0