Saltar para o conteúdo
7,7
Média
128 votos
?
Sua nota
Direção
Chloé Zhao
Roteiro:
Chloé Zhao (roteiro), Jessica Bruder (livro)
Gênero:
Drama
Origem:
Estados Unidos, Alemanha
Duração:
108 minutos
Prêmios:
78º Globo de Ouro - 2021, 93º Oscar - 2021

Lupas (33)

  • Apesar de Zhao se interessar por estilos de vida (marginais, esquecidos, a deriva), seus filmes são centrados nos indivíduos, onde para cada personagem o mesmo cuidado será dado. As imagens feitas por Zhao, câmera na mão, personagens centrados e entardeceres transcendem e marcam nossos olhos, nossa memória, como as experiências de seus personagens. McDormand como sempre domina sua arte e a cataliza numa atuação impactante. A cena final, releitura da feita em The Searchers, memorável

    Rafael Pereira Pinheiro | Em 26 de Maio de 2021 | NOTA: 9.0
  • Longa contemplativo, estilo de filmagem documental, baixo orçamento, vários não-atores, equipe superenxuta, trilha sonora reaproveitada. Difícil julgar um filme desses. Uma obra bem feita, é o que posso dizer.

    Paulo Henrique de Aragão | Em 25 de Maio de 2021 | NOTA: 6.0
  • O tema é super importante, super atual, e o filme explora bem a beleza e as dificuldades dessa opção de vida, bem como o contexto social e o drama dos idosos abandonados pelo Estado. Um filme com alto grau de naturalismo e bem pegada "flow of life" (q eu não sou tão chegado), e a estética às vezes me lembrou de vídeo de auto-ajuda do Whatsapp, tipo Filtro Solar, mas é de fato um filme bem relevante. E Frances McDormand, mesmo num papel mais retido, rouba a cena pra variar.

    Josiel Oliveira | Em 24 de Maio de 2021 | NOTA: 7.0
  • Aí dento

    Moisés Costa Lins | Em 19 de Maio de 2021 | NOTA: 5.0
  • Crítica...

    Thiago Soares Mota | Em 05 de Maio de 2021 | NOTA: 9.0
  • Não é grande coisa, bem esquecível na verdade.

    Robson Oliveira | Em 04 de Maio de 2021 | NOTA: 7.0
  • Alterna em momentos mostrando dureza da vida dos "white trash" nômades aos momentos realmente contemplativos nos belos cenários do Mid-west dos Estados Unidos, tudo isso para tocar em temas realmente sensíveis como o desapego, a solitude e a necessidade (ou não) da felicidade ser compartilhada.

    André Araujo | Em 27 de Abril de 2021 | NOTA: 9.0
  • Me pareceu um filme ok, a trilha sonora e a atriz principal agradaram e servem como muleta diante de pequenos desajustes.

    Daniel Mendes | Em 26 de Abril de 2021 | NOTA: 6.5
  • Nomadland é dolorosamente lindo, um trabalho profundo de empatia de Zhao. É uma verdadeira elegia, um lamento pelos mortos, uma saudade dos perdidos.

    João Pedro Duarte | Em 25 de Abril de 2021 | NOTA: 8.0
  • O filme consegue expor tanto a crueza dos precarizados do sistema capitalista no país mais rico do mundo, quanto a beleza dos bons encontros, mesmo imersos na solidão da vida nômade. Enfim, merece todo o reconhecimento que está recebendo.

    Júlio César Filho | Em 24 de Abril de 2021 | NOTA: 9.0
  • Um filme bem sensível que demonstra a realidade do estilo de vida nômade. Mostra a solidão, o vazio, as dificuldades e a complexidade dos outros de entenderem este estilo de vida. Uma vida na estrada de encontros e desencontros.

    Lucas Alves | Em 24 de Abril de 2021 | NOTA: 8.0
  • A atuação de McDormand e a linda fotografia nos fazem penetrar facilmente no filme. No entanto, o ritmo é forçosamente lento, e as pinceladas de críticas sociais são tão diretas e mal trabalhadas (a questão do emprego, aposentadoria, da crise financeira e imobiliária) que o lado intimista da história é bem mais interessante. Fern carrega suas dores para os lugares e não lugares, e são tão bem compreensíveis graças à força da atuação.

    Alan Nina | Em 16 de Abril de 2021 | NOTA: 8.0
  • Melhor filme da temporada? Wtf?

    Gabriel Cine | Em 14 de Abril de 2021 | NOTA: 5.0
  • Interessante e cansativo em proporções semelhantes.

    Matheus Gomes | Em 01 de Abril de 2021 | NOTA: 6.0
  • Há uma beleza palpável nas paisagens desoladas servindo de moldura para a solidão dos personagens aqui. Cito solidão não como estorvo, mas um quase bálsamo. Um estudo, ainda que não muito profundo, das pessoas que vivem no estereótipo do "America way of life". Infelizmente um filme de ritmo claudicante e um tanto quanto redundante

    Daniel Lucena | Em 31 de Março de 2021 | NOTA: 6.0
  • O filme, por vezes lento, entedia, mas quando compreendemos a essencial da obra, nos encantamos, personagens reais, numa obra real, vivido 3 anos por Jéssica, e adoro Frances McDormand, fantástica, melhor escolha impossível, o Oscar pareceria até trivial, quão perfeita esta sua atuação, como se para ela fosse simples ser uma viúva desempregada aos 60 anos… Oscar esse ano esta mais intimista, valorizando obras biográficas, lindo mas cansativo...

    Rosana de Almeida Machado | Em 28 de Março de 2021 | NOTA: 7.5
  • Frances é um tour de force! Não diferente de outras grandes composições suas, ela mergulha em sua personagem e se torna a obra, sendo o alicerce de Nomadland. Apesar de o filme se pretender universal no enredo (trazendo acertadamente nômades da vida real à cena), Zhao centraliza em Fern, e com sucesso, o microcosmo dos andantes contemporâneos dos EUA. Sua câmera é observadora do trivial e, apesar da realidade desalentadora, capta beleza em basicamente todas as passagens. Lindo! (IG: @filmaccro)

    Matheus Castelo Branco | Em 27 de Março de 2021 | NOTA: 9.5
  • As belíssimas imagens, a poesia visual e Frances McDormand seguram a barra bem, mas o filme se estende demais na própria estética e acaba se tornando um exercício de paciência.

    João Vitor G. Barbosa | Em 21 de Março de 2021 | NOTA: 6.0
  • Um retrato íntimo, honesto e sensível sobre pessoas em busca de um propósito, sentido ou pertencimento. Chloe Zhao mostra notável habilidade na condução de uma narrativa aparentemente simples, mas de muita força e significado. E Frances MacDormand entrega mais uma grande atuação, humana e introspectiva, trazendo muita verdade à sua personagem.

    Luiz F. Vila Nova | Em 08 de Março de 2021 | NOTA: 9.0
  • Quase um Natureza Selvagem da condição sócio-econômica lado B americano sem frases de efeitos soltas ao léu. O clima de frieza e solidão toma conta e por mais que um ou outro diálogo tenha um tom de exposição acima da conta é um filme bastante honesto em seu painel ainda que eu tenha por mim que quando entendemos que o isolamento de Fern tem um cunho pessoal muito forte o panorama sócio-econômico traçado perca completo sentido ( ou quase).

    Eliezer Lugarini | Em 08 de Março de 2021 | NOTA: 7.0