Saltar para o conteúdo

Notícias

Woody Allen processa a Amazon por arquivar seus filmes


O diretor Woody Allen (Manhattan) está processando a Amazon Studios em US$ 68 milhões de dólares por se negar a distribuir seu último filme, A Rainy Day in New York.

A parceria entre o diretor e o estúdio, que parecia ser duradoura após bancar as produções dos filmes Café Society e Roda Gigante e da série Crisis in Six Scenes, foi bruscamente interrompida quando em meio ao movimento Time's Up a história que teria abusado de sua enteada Dylan Farrow em 1992 ressurgiu.

Desde então, foi causado um mal estar midiático que fez com que a atriz e cineasta Greta Gerwig (Lady Bird: É Hora de Voar) dissesse se arrepender de trabalhar com o cineasta em Para Roma, Com Amor e que fizesse a estrela de A Rainy Day in New York Timothée Chalamet (Me Chame Pelo Seu Nome) doasse seu cachê para a caridade. Jude Law disse que é uma "vergonha" que o filme tenha sido arquivado e que teria de "considerar com cuidado" se trabalharia com Allen de novo.

O processo de Allen alega danos e acusa a Amazon de que "uma acusação sem base de 25 anos atrás não embasam um motivo para a Amazon terminar o contrato". Diretor e estúdio tinham assinado um contrato de múltiplas produções e que após o escândalo ressurgir se viu com um fim abrupto.

A Amazon ainda não respondeu as acusações e, por hora, A Rainy Day in New York continua arquivado. 

Comentários (3)

Walter Prado | sexta-feira, 08 de Fevereiro de 2019 - 17:32 | Responder

Gerwig e Chalamet são uns oportunistas baratos...

Adriano Augusto dos Santos | sábado, 09 de Fevereiro de 2019 - 12:07 | Responder

Mete o pau Woody, sacanagem gigante com seu trabalho.

Greta e Chalamet, sem comentários, hipócritas e covardes.

Faça login para comentar.