Saltar para o conteúdo

Notícias

Cannes | Após 7 indicações, Kore-eda sai com o prêmio principal


Depois de 5 participações na competição principal e 2 na Un Certain Regard, o japonês Hirokazu Kore-Eda leva a Palma de Ouro da 71ª edição do Festival de Cannes, encerrada hoje. Assunto de Família, um filme sobre uma família de trambiqueiros que adota uma criança abandonada e precisa rever seus valores, conquistou a todos literalmente, o que foi até surpreendente. Apesar de já ter participado tantas vezes da competição, Kore-Eda nunca foi considerado um favorito anteriormente, muitas vezes inclusive foi chamado de 'café com leite' nas disputas, mas esse ano tudo mudou. Assim que foi exibido, o filme conquistou a todos e foi parar no alto dos grupos de críticos de praticamente todas as publicações, o que pegou de surpresa a própria crítica.

É sempre bom lembrar que Cannes tem uma tradição de premiar seus filhos competentes e insistentes. Tem Palmas em casa Michael Haneke, Ken Loach, Nuri Bilge Ceylan, Jacques Audiard, os irmãos Dardenne, Nanni Moretti, todos esses cineastas que antes de suas vitórias já acumulavam prêmios periféricos ao principal. O curioso a notar na situação de Kore-Eda é que esse não era o caso dele. Nas 6 participações anteriores em Cannes, o cineasta só tinha ganho um Prêmio Especial do Júri por Pais e Filhos.

Cineasta interessado nas relações familiares e os desdobramentos simples do cotidiano, Kore-Eda agora provavelmente será ainda mais comparado a Yazujiro Ozu do que já era, e entra agora para o seleto grupo de orientais vencedores da Palma. Pra falar a verdade, a última Palma de Ouro oriental fazem 8 anos, quando Tio Boonmee, que Pode Recordar Suas Vidas Passadas deu a Apichatpong Weerasethakul o prêmio máximo de Cannes.

O júri presidido por Cate Blanchett parece ter acertado completamente, porque os filmes mais bem falados dos últimos 12 dias apareceram todos na premiação. Spike Lee e seu petardo político BlacKkKlansman levou o que é a espécie de segundo lugar, o Grande Prêmio do Júri. A libanesa Nadine Labaki emocionou a todos na Croisette e levou o Prêmio Especial para seu Capharnaüm. O prêmio de melhor ator era uma barbada, e todos acertaram a aposta em Marcello Fonte, o protagonista de Dogman, dirigido por Mateo Garrone, enquanto a melhor atriz apareceu ontem, Samal Yeslyamova por Ayka, do cazaqui Sergey Dvortsevoy. O melhor diretor foi o celebrado Pawel Pawlikovski por Zimna Wojna, um dos mais queridos filmes da competição. O prêmio de roteiro foi dividido pelo terceiro ano consecutivo, um empate entre a italiana Alice Rohrwacher por Lazzaro Felice e Jafar Panahi por 3 Faces.

Um dos momentos mais surpreendentes e emocionantes da noite foi a entrega de uma Palma de Ouro Especial, prêmio criado excepcionalmente esse ano, para coroar o trabalho sempre relevante e mais uma vez considerado primoroso, o monstro sagrado Jean-Luc Godard e seu Le Livre d'Image. A Camera D'or dada a estreia cinematográfica consagrou ainda mais Girl, filme que ganhou também a Queer Palm e o FIPRESCI da Un Certain Regard, se tornando o filme mais premiado da edição. O FIPRESCI é o prêmio da crítica internacional, e na competição principal foi entregue a Buh-ning, filme do chinês Lee Chang-Dong.

Sempre bom lembrar que a maioria desses filmes já tem chegada garantida no Brasil, incluindo a Palma de Ouro.

Abaixo, os vencedores:

PALMA DE OURO: Assunto de Família, de Hirokazu Kore-Eda

GRANDE PRÊMIO DO JÚRI: BlacKkKlansman, de Spike Lee

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI: Capharnaüm, de Nadine Labaki

PALMA DE OURO ESPECIAL: Le Livre d'Image, de Jean-Luc Godard

ATOR: Marcello Fonte, por Dogman

ATRIZ: Samal Yeslyamova, por Ayka

ROTEIRO: Lazzaro Felice, de Alice Rohrwacher e 3 Faces de Jafar Panahi (empate) 

CAMERA D'OR: Girl, de Lukas Dhont

FIPRESCI: Buh-ning, de Lee Chang-Dong

Comentários (1)

Augusto Barbosa | sábado, 19 de Maio de 2018 - 18:22 | Responder

Sabia que Cate não decepcionaria 😎 Não vi, obviamente, mas sei que a palma foi mais que merecida.

Faça login para comentar.