Saltar para o conteúdo

Notícias

Globo de Ouro abraça as opções mais convencionais nas categorias principais


OK, já entendemos que abalou a indústria a tentativa da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de criar uma nova categoria no Oscar, uma espécie de 'melhor filme popular'. Uma ala enorme defendeu a extinção dessa ideia ainda antes de germinar e decidiram deixar essa discussão pro futuro. Quase imediatamente começou uma movimentação que fica cada vez clara, um recado através dos prêmios de que não precisariam de categoria aparte porque eles produziam sim grandes filmes populares. Com isso, os nomes de 'Nasce uma Estrela' e 'Pantera Negra' correram na frente, e até ameaças com 'Um Lugar Silencioso', 'Podres de Ricos' e 'O Retorno de Mary Poppins' foi aventado. Pois bem, nas curvas finais descobrimos um amor crescente da indústria com 'Bohemian Rhapsody', a biografia bastante irregular de um dos maiores cantores da História, Freddie Mercury, e sua banda Queen - que até agora já fez inacreditáveis 700 milhões de dólares nas bilheteria do mundo; ele acaba de sair do Globo de Ouro com um esperado troféu para seu protagonista Rami Malek e um estarrecedor troféu de melhor filme, na categoria drama. 

Na categoria comédia, 'Green Book' saiu vencedor, também premiando seu "coadjuvante" (dizem que em umas das habituais fraudes dessa categoria, pois seria Mahershala Ali protagonista) e um chocante prêmio de roteiro, quando ele não era favorito. O filme também é uma biografia, mas contando a amizade entre o pianista Don Shirley e seu motorista branco. Vencedor do prêmio do público no Festival de Toronto em setembro, isso costuma ser uma garantia óbvia de presença no Oscar. A despeito de ter sido tratado como 'filme de arte' pelo circuito americano, 'Green Book' já fez mais de 35 milhões de dólares de arrecadação, o que é uma quantia bem razoável para um filme sem um número expressivo de salas.

Ambos são filmes acusados por muitos envolvidos em suas narrativas por falhas de roteiro, diminuição de importância de personagens, cronologia suspeita e muito mais. A família do pianista em particular tem vindo toda semana reclamar do tratamento a essa amizade e dos erros de julgamento que o filme comete. Nada disso pareceu mudar o amor da imprensa estrangeira para esses filmes, que além de tudo são sucessos populares, e óbvio que eles crescem para o Oscar, mas sem afobação. Somente essa década, o Globo de Ouro só concordou com o Oscar por três vezes: 'O Artista', 'Argo' e 'Moonlight', e ao contrário da visão que se tinha há 20 ou 30 anos de que o Globo tinha vontade de acertar o vencedor do Oscar, agora cada vez mais parecemos ter a imprensa estrangeira tentando ser ousados, e do lado da Academia parece haver o maior esforço possível para fugir das opções abraçadas por eles, e dizer q tem personalidade. Lógico que ambos os filmes agora tem extrema visibilidade, e isso geralmente é muito negativo. Todos passarão a olhar esses filmes se perguntando: "são esses os melhores filmes do ano?", as vezes os acadêmicos concordam e assinam, mas muitas vezes estão tentando ir por outra via.


Entre as atuações, tudo dentro do esperado e aparentemente justo. Glenn Close surpreendeu com sua vitória (e seu discurso extraordinário a deixou em posição de vantagem), Olivia Colman mostrou quem manda, além do já citado Malek e de Christian Bale, em outro caso de mímica interpretativa que as premiações tanto amam.

'Roma', que acabou ser eleito no site como o melhor filme do ano pela sua grade crítica, fez o trabalho que se esperava e papou filme estrangeiro e direção para Alfonso Cuaron, e trazendo novos momentos de justiça com ele.

O favorito 'Nasce uma Estrela' saiu da festa com o prêmio merecido de melhor canção, mas pareceu muito pouco para um filme que a essa altura quer muito mais. Mas como já dito, os próximos prêmios do mês (Critics Choice, no próximo domingo, e o Sindicato dos Atores - SAG - no último domingo) podem e provavelmente chacoalharão essa corrida para outros lados, deixando tudo ainda mais divertido.

Aqui abaixo, os vencedores:

FILME - DRAMA: Bohemian Rhapsody

FILME - COMÉDIA: Green Book

DIREÇÃO: Alfonso Cuaron (Roma)

ATOR - DRAMA: Rami Malek (Bohemian Rhapsody)

ATRIZ - DRAMA: Glenn Close (A Esposa)

ATOR - COMÉDIA: Christan Bale (Vice)

ATRIZ - COMÉDIA: Olivia Colman (A Favorita)

ATOR COADJUVANTE: Mahershala Ali (Green Book)

ATRIZ COADJUVANTE: Regina King (Se a Rua Beale Falasse)

ROTEIRO: Green Book

ESTRANGEIRO: Roma

ANIMAÇÃO: Homem-Aranha no Aranhaverso

TRILHA SONORA: O Primeiro Homem

CANÇÃO: "Shallow" (Nasce uma Estrela)

Comentários (2)

Carlos Eduardo | segunda-feira, 07 de Janeiro de 2019 - 10:07 | Responder

🙄 Globo de Ouro cada ano mais perdendo a credibilidade.

Faça login para comentar.