Saltar para o conteúdo

Cineplayers Cast

#116 - O Silêncio dos Inocentes

Um dos maiores clássicos do cinema de suspense / horror / policial está completando 30 anos e o Cineplayers preparou um podcast todo especial sobre ele.

Rodrigo Cunha, Bernardo Brum, Heitor Romero e Régis Trigo falam tudo sobre O Silêncio dos Inocentes: o que ele tem de tão bom? O personagem carrega o filme nas costas? O filme é transfóbico? Mereceu todos os prêmios que recebeu? Qual o seu legado?

Esperamos que gostem e mais uma vez obrigado pela companhia de sempre!


METADE COM SPOILER E METADE SEM


Duração: 96 minutos

Edição: Gilsomar Livramento

Comentários (8)

Carlos Eduardo | quarta-feira, 07 de Julho de 2021 - 13:32

Por mais que dessa vez o Régis esteja errado acho justo fazer um cast de Laranja Mecânica com o Heitor. Show de bola como sempre, aguardei bastante este cast.

Helena Novais | quinta-feira, 15 de Julho de 2021 - 13:10

Olá!
Estou revendo alguns filmes e passei por aqui para procurar resenhas sobre eles. Por coincidência me deparei com a chamada para o podcast sobre O Silêncio dos Inocentes e pensei com meus botões “ué, eu escrevi sobre esse filme?”. Não lembrava... Porém, fui fuçar e vi que a crítica publicada aqui foi escrita por mim em uma outra vida, quando por um brevíssimo espaço de tempo, tomei parte na equipe do site. Estranhamente, hoje eu não gostaria de ter escrito essa crítica de modo diferente… Para mim esse é um filme de suspense psicológico (e não terror), pois é assim que eu o sinto e o entendo.
Nunca é “ou isso ou aquilo” e sim “é isso e MAIS aquilo”… Não é um filme sobre a Clarice, ou o Hannibal, é sobre ambos. E mais: é sobre a natureza humana, e sobre esse vício que a gente tem de classificar as coisas de maneira estanque e limitante… No extremo, o filme remete a toda a amplitude do humano e à universalidade em que ela se insere. Por isso deixa a gente de cara, sem saber o que

Helena Novais | quinta-feira, 15 de Julho de 2021 - 13:10

Por isso deixa a gente de cara, sem saber o que fazer com os limites do modo binário como estamos habituado a interpretar o que nos cerca… É gigantesco, é imenso esse filme!!!
Sobre o podcast… Eu achei que o papo podia ter sido menos prolixo… Aliás, esse o motivo de eu ter deixado de ler resenhas: os resenhistas passaram a dar mais atenção aos efeitos especiais, aos prêmios, ao hype, às próprias preferências e opiniões, do que ao mergulho em profundidade na história que o filme conta, à análise em profundidade da mensagem que ele transmite, e de como ele pode contribuir para a formação e desenvolvimento de quem o assiste. A crítica mais “técnica”, digamos assim, muitas vezes, é óbvia e deixa de contribuir para que o público mergulhe em profundidade nos filmes.

Helena Novais | quinta-feira, 15 de Julho de 2021 - 13:14

Acredito que o trabalho de um crítico de cinema deve ser, sempre, o de ampliar a percepção que o público tem da obra. Pq o público, muitas vezes, assiste de modo superficial e não se liga de muita coisa de cara, as minúcias, e por isso procura a crítica, para alcançar um algo a mais... Então, a questão sempre é: crítica está acrescentando o quê? Não estou dizendo que neste caso não está acrescentando, e sim que esse é um ponto a não ser perdido de vista em momento algum… E como há gosto para tudo, talvez se possa fazer (se é que não está sendo feito) um roteiro para cada podcast, reservando momentos para contemplar gostos diversos, algo mais metódico – um “agora vamos focar essa dimensão, a seguir essa outra"...
No mais, desejo que vocês tenham boa sorte! Que o projeto se desenvolva e se firme, pois falar sobre cinema, de um modo ou de outro, acaba sendo sempre muito educativo e necessário! Abraços!!!

Faça login para comentar.