Saltar para o conteúdo

À Meia-Noite Levarei Sua Alma

(À Meia-Noite Levarei Sua Alma, 1964)
7,5
Média
138 votos
?
Sua nota
Direção
José Mojica Marins
Roteiro:
Waldomiro França, José Mojica Marins, Magda Mei
Gênero:
Terror
Origem:
Brasil
Duração:
84 minutos

Filmes Relacionados

Lupas (20)

  • Incrível com um orçamento baixíssimo, José Mojica Marins tenha feito um filme como esse. Direção e atuação dele são incríveis. Todo o clima que o filme tem é muito tenso e as cenas de morte são muito boas. Mas o filme tem alguns problemas: apesar da curta duração, em alguns momentos achei um pouco lento demais e tirando o Mojica, o elenco não tem boas atuações. Mas tirando isso, é um ótimo filme.

    Thiago Cavalcante Hércules | Em 08 de Outubro de 2020 | NOTA: 8.5
  • Sobre o medo. Não apenas o medo da morte em um personagem absurdamente bem construído como o de Zé do Caixão, mas o medo de uma sociedade inteira. Um medo coletivo de um passado violento, de uma crença em rituais infundados, de uma hierarquia do opressor no oprimido, de uma infindável ignorância. Um personagem que respira Brasil. E, como na critica do TED RAFAEL, o que é mais importante que o medo no horror? Nada.

    Leonardo Ferreira Sampaio | Em 15 de Abril de 2020 | NOTA: 8.0
  • Mojica é um cineasta que sabe aonde quer chegar, realiza seu filme de forma eficiente, contando com poucos recursos. Mesmo com o tempo, "À Meia-Noite Levarei Sua Alma" ainda soa interessante, tem algo na película que a torna vívida, instigante e genuína.

    Zacha Andreas Lima | Em 09 de Maio de 2018 | NOTA: 8.0
  • Mesmo demasiadamente envelhecido, possui um miolo bem interessante.

    André Oliveira de Araujo Ferreira | Em 11 de Março de 2018 | NOTA: 7.5
  • Grande sacada esta brincadeira entre o ceticismo e crença religiosa fervorosa. Talvez não seja lá muito assustador mas é no mínimo perturbador e violento.

    Eliezer Lugarini | Em 17 de Outubro de 2017 | NOTA: 7.0
  • 17/08/08 - - Mais do que o pai do terror do cinema brasileiro, José Mojica Marins é um apaixonado pela sétima arte, e essa paixão está estampada em "À Meia-Noite Levarei Sua Alma".

    Eduardo Scutari | Em 14 de Junho de 2017 | NOTA: 7.0
  • Tem um ar meio trash, mas os elementos do terror estão muito bem delineados. A presença de Mojica é forte, a atmosfera final tbm.

    Daniel Mendes | Em 16 de Julho de 2016 | NOTA: 7.0
  • Ícone do trash nacional e surgimento do Zé do Caixão. Chama a atenção a originalidade, criatividade popularesca, montagem artesanal e suas reflexões metafísicas bizarras (O que é a vida? É o princípio da morte. O que é a morte? É o fim da vida). Figuraça!

    Josiel Oliveira | Em 28 de Março de 2016 | NOTA: 7.5
  • Mojica brinca com medos populares e o resultado final para o seu personagem não é nada agradável. Um clássico do cinema brasileiro, principalmente por toda parte final que é excelente.

    Bruno Ricardo de Souza Dias | Em 23 de Outubro de 2015 | NOTA: 8.0
  • Mojica cria um terror bruto, que retoma às alegorias da cultura brasileira e a recursos nada menos que bizarros para transformá-lo no macabro qual tanto ama.

    Luís Daniel | Em 03 de Julho de 2015 | NOTA: 8.5
  • O mais significativo filme de terror brasileiro já feito.

    Landerson DSP | Em 30 de Março de 2013 | NOTA: 7.0
  • O cinema tupiniquim de repulsa e horror, que só um apaixonado como Zé do Caixão poderia fazer. Sujo, transgressor no desafio de limites éticos, religiosos e até do próprio cinema da época, cheio de imagens macabras e de fascinação pela pureza do terror.

    Bruno Kühl | Em 15 de Janeiro de 2013 | NOTA: 7.0
  • Divertido.

    Alberto Goes Costa | Em 09 de Dezembro de 2012 | NOTA: 7.0
  • Pode ser até considerado trash, mas a dedicação e força da obra tornam Zé do Caixão um dos grandes vilões do terror mundial. Ainda rende tensão, medo, crítica moral e cenas marcantes.

    Guilherme Algon | Em 03 de Dezembro de 2012 | NOTA: 8.0
  • Zé do Caixão é um dos melhores personagens ja inventados no Brasil e vale o filme apesar das atuações fracas do elenco que incomodam bastante

    Caio Santos | Em 24 de Novembro de 2012 | NOTA: 7.0
  • Um suspense que quer ser terror até o fim (E as tentativas são válidas)! A fotografia extremamente escura é o pior aspecto do filme, deixam quase imperceptíveis as qualidades técnicas presentes na produção.

    Douglas Rodrigues de Oliveira | Em 20 de Novembro de 2012 | NOTA: 6.5
  • Macabro e muito assustador. Mesmo sem conter o nível de violência do padrão atual de terror, ele contém uma excelente mão na direção que prova que uma boa direção pode arrancar da tela momentos assustadores, sem exagerar no sangue.

    Victor Ramos | Em 19 de Fevereiro de 2012 | NOTA: 8.5
  • Dá muito orgulho ver o cinema autoral de José Mojica. Não tanto pela qualidade, mas sim pelo pioneirismo e criatividade. Aqui, mais do que tudo, o diretor nos mostra que é possível fazer algo interessante com pouco, apenas com uma idéia clara em mente.

    Vinícius de Castro | Em 19 de Janeiro de 2012 | NOTA: 7.0
  • O terror de forma pura. Muito bem dirigido e é mais um daqueles exemplos que a precariedade da produção ajuda a construir o clima.

    Adriano Augusto dos Santos | Em 23 de Maio de 2011 | NOTA: 8.0
  • O sangue é eterno .....

    Rahe de Barros Toledo | Em 31 de Dezembro de 2010 | NOTA: 8.5