Saltar para o conteúdo
8,2
Cineplayers
14 votos
8,5
Usuários
1453 votos
?
Sua nota
Direção
Sam Mendes
Roteiro:
Alan Ball
Gênero:
Drama
Origem:
Estados Unidos
Duração:
122 minutos
Prêmios:
72° Oscar - 2000, 57° Globo de Ouro - 2000

Lester Burnham é chefe de uma família tradicional americana que, em plena meia-idade, começa a tomar decisões e dar a volta por cima em sua vida. Vivendo uma crise familiar, com sua esposa o traindo e sua filha em rebeldia, Lester demite-se do emprego e aproxima-se da melhor amiga da filha.

Elenco

Kevin Spacey
Lester Burnham
Annette Bening
Carolyn Burnham
Thora Birch
Jane Burnham
Wes Bentley
Ricky Fitts
Mena Suvari
Angela Hayes
Chris Cooper
Coronel Frank Fitts
Peter Gallagher
Buddy Kane
Allison Janney
Barbara Fitts
Scott Bakula
Jim Olmeyer
Sam Robards
Jim Berkley
Barry Del Sherman
Brad Dupree

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Vida de aparência e obsessões, tratada com um humor sarcástico, atuações fantásticas e uma técnica na direção surpreendente, são apenas algumas qualidades dessa obra-prima de Sam Mendes.

  • Vai conquistando a platéia.

  • Uma obra que articula, através de símbolos, exageros, lirismo e humor negro, várias problemáticas que estruturam a sociedade americana contemporânea: a artificialidade da imagem pública, o preconceito, o fracasso neoliberal, a violência do cotidiano, etc.

  • Uma obra prima que expõe toda a hipocrisia por trás do próprio sonho americano. Além disto, a ironia que permeia durante toda a projeção e a fotografia muito bem trabalhada agregam ainda mais valor a esta película.

  • Uma narrativa que começa cansativa, mas vai melhorando ao longo do filme. Mostrando os reflexos da falsa máscara que usamos.

  • Uma lenta e gradual desconstrução da imagem criada pelos seus personagens para si, revelando uma abrangência e profundidade incríveis em seus temas. Um filme feito de forma cuidadosa.

  • Uma galeria de escrotices que constituem uma realidade oculta e perturbadora.

  • Uma fotografia do caminho entre mediocridade e morbidez, uma visão visceral sobre a sociedade que vive de aparências. Não há um personagem que não seja frágil, malogrado, confuso e extremamente complexo. A famosa tagline fez jus à mensagem do filme.

  • Uma das melhores fotografias do cinema, uma das cenas mais memoráveis (rosas caindo do teto). Meticulosa análise da sociedade atual cheia e guiada pelas aparências e um ótimo final fazem de Beleza Americana um filme maravilhoso, porém não para todos.

  • Uma crônica sobre a sociedade que demorou séculos pra ser construída e se mostrou uma farsa inimaginável. Uma obra magnífica, em todos os sentidos, mesmo que seja meio óbvia.

Comentários (0)

Faça login para comentar.