Saltar para o conteúdo
Direção
Stanley Donen
Roteiro:
Leonard Gershe
Gênero:
Comédia, Musical, Romance
Origem:
Estados Unidos
Estreia:
31/12/1969
Duração:
103 minutos
Prêmios:
30° Oscar - 1958, 10° Festival de Cannes - 1957

Lupas (11)

  • Muito charmoso, embora todo ele seja um grande clichê.

    Alan Nina | Em 05 de Setembro de 2015 | NOTA: 7.0
  • A condução de Donen é agradabilíssima e o carisma do casal principal barra qualquer sentimento de repetição ou alongamento de cena. Bons números musicais (não tão memoráveis) e visual convidativo.

    Guilherme Algon | Em 13 de Julho de 2015 | NOTA: 7.5
  • Músicas e cores alegres, protagonistas e coadjuvantes simpáticos (por mais que Hepburn possa ser um tanto irritante em algumas partes) , e a mesma história bobinha de sempre. Interessante pela parceria de Astaire e Hepburn.

    Aylon Dutra | Em 29 de Junho de 2015 | NOTA: 6.0
  • Hepburn mostra sua doçura, de deixar qualquer homem caidinho!

    Mauricio Antunes | Em 03 de Maio de 2015 | NOTA: 8.0
  • O início empolga , o restante enfada até porque o romance é pouco crível. Donen se esforça em termos de condução e coreografias mas parece que nem Astaire está em seus melhores dias.

    Eliezer Lugarini | Em 13 de Outubro de 2014 | NOTA: 6.5
  • 04/10/07

    Eduardo Scutari | Em 05 de Março de 2014 | NOTA: 7.0
  • É um bom filme para quem gosta de musicais e de moda afinal as apostas da moda para os 60's está toda ali.

    Melissa Bow. | Em 15 de Novembro de 2012 | NOTA: 9.0
  • Um musical tão alto-astral, cheio de vida, locações magníficas e com músicas animadoras que é impossível não sorrir enquanto assiste. E ainda tem Audrey Hepburn.

    Beatriz R. | Em 29 de Maio de 2012 | NOTA: 8.0
  • Chatinho, chatinho... Nem a doçura de Audrey Hepburn salva!

    Vinícius de Castro | Em 03 de Dezembro de 2011 | NOTA: 4.0
  • Vale a pena por Audrey Hepburn e Fred Astaire. Mas o roteiro é fraco e mal desenvolvido. A cena musical da chegada em Paris é ótima.

    Vanessa Soria | Em 24 de Fevereiro de 2011 | NOTA: 6.0
  • Com roteiro e direção regular, Cinderela em Paris vale por Audrey Hepburn e pela simpatia de Fred Astaire, porém os números musicais não são muito inspirados, assim como as canções. Edith Head e o figurino do filme merecem destaque.

    Conrado Heoli | Em 31 de Dezembro de 1969 | NOTA: 5.0