Saltar para o conteúdo

Catadores e eu, Os

(Glaneurs et la Glaneuse, Les, 2000)
?
Sua nota
Direção
Agnès Varda
Roteiro:
Agnès Varda
Gênero:
Documentário
Origem:
França
Duração:
82 minutos

Filmes Relacionados

Lupas (7)

  • Varda em um trabalho visceral e cru, sobre decadência, onde os catadores têm que curvar a cabeça para viver.

    André Araujo | Em 24 de Julho de 2020 | NOTA: 8.5
  • Varda sabia expor dramas reais sem escorregar no sentimentalismo pobre e óbvio. As histórias que recolheu (trocadilho irresistível) são preciosas e mostram que ainda há que se aprender muito como lidar com os recursos que a natureza dá, bem como aqueles produzidos pela mão humana. A cena em que ela brinca de "pegar" os caminhões é uma gostosa lembrança de seu jeito sapeca.

    Patrick Corrêa | Em 08 de Abril de 2020 | NOTA: 8.0
  • Tem seu valor, com boas imagens, mostrando as sobras de colheitas endereçadas diretamente ao mercado - que devia ser doadas no ato mas absurdamente são largadas na terra. Parece que lá há mais travas e detalhes de lei do que imaginei que era possível.

    Adriano Augusto dos Santos | Em 24 de Abril de 2019 | NOTA: 6.0
  • Impressiona como a maturidade do olhar simples transgride o senso comum. Vemos muito além da imagem e de poucas palavras sinceras. Um registro de natureza, sociedade, política, história, tempo, arte, vida.

    Guilherme Algon | Em 02 de Abril de 2017 | NOTA: 8.5
  • Sinceramente me impressionou mais o As Praias de Agnes do que este filme que é sem dúvida mais famoso e que de fato se assiste com uma imensa dor no coração mesmo sem qualquer apelo melodramático. Mas em certo ponto parece haver uma certa redundância.

    Eliezer Lugarini | Em 29 de Abril de 2016 | NOTA: 6.5
  • 26/12/15

    Eduardo Scutari | Em 27 de Dezembro de 2015 | NOTA: 8.5
  • A ideia de apresentar os "respigadores", aproveitando para falar do desperdício de alimento no mundo era boa, mas a diretora, além de não desenvolver o tema, derivou para outros assuntos e acabou se perdendo, o que deixou o documentário sem conteúdo.

    Gilberto C. Mesquita | Em 26 de Junho de 2011 | NOTA: 2.5