Saltar para o conteúdo
7,2
Cineplayers
11 votos
7,3
Usuários
271 votos
?
Sua nota
Direção
Jonathan Demme
Roteiro:
Jenny Lumet
Gênero:
Drama
Origem:
Estados Unidos
Estreia:
13/02/2009
Duração:
113 minutos
Prêmios:
66° Globo de Ouro - 2009, 81° Oscar - 2009

A festa de casamento de Rachel tem tudo para ser perfeita. Amigos e familiares reunidos numa bela cidade de Connecticut, num fim de semana repleto de comida, música e carinho. Mas quando Kim, a irmã mais nova de Rachel, chega após um longo período numa clínica de reabilitação, todos se preocupam. Com seu histórico de crises e conflitos familiares, Kim tem o dom de provocar grandes dramas em qualquer situação. Na festa, sua postura sarcástica faz reviver antigas feridas e transforma o casamento dos sonhos num campo de batalha.

Elenco

Anne Hathaway
Kym
Rosemarie DeWitt
Rachel
Mather Zickel
Kieran
Bill Irwin
Paul
Anna Deavere Smith
Carol
Anisa George
Emma
Tunde Adebimpe
Sidney
Debra Winger
Abby
Beau Sia
Norman Sklear
Dorian Missick
Dorian Lovejoy
Jerome LePage
Andrew
Sebastian Stan
Walter
Marin Ireland
Angela Paylin
Paul Lazar
Convidado no jantar
Maria Dizzia
Convidada no casamento
Paul Sparks
Membro no encontro

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Lars Von Trier e sua trupe, através do Dogma 95, já haviam feito muito melhor há muito tempo, mas o filme de Demme tem boas interpretações e, não fosse pelos excessos, seria maravilhoso.

  • Inspirado no 'Dogma 95', Demme captura verdade e naturalismo, estabelecendo forte ligação entre a plateia e os personagens. Emoções reais provêm do roteiro e das atuações impecáveis - Hathaway está brilhante. Um dos melhores - se não o melhor - do ano.

  • Influenciado pelos princípios do Dogma em especial na sua técnica, O Casamento de Rachel acaba acertando mais na abordagem dúbia das relações entre os membros daquela família. Jonathan Demme continua um cineasta fantástico (e subestimado).

  • Faço coro aos que julgam a carreira de Demme subestimada. Nesse filme, o cineasta usa de uma abordagem naturalista para desenfrear as opressões veladas de um conjunto familiar profundamente marcado pelo trauma e pelo rancor. De uma beleza impressionante.

  • Câmera nervosa e ausência de trilha sonora. É Jonathan Demme experimentando as técnicas do movimento Dogma, com resultado pra lá de satisfatório. Tão bem quanto Anne Hathaway, está Rosemarie DeWitt, que faz a personagem que dá título ao film

Comentários (0)

Faça login para comentar.