Saltar para o conteúdo
?
Sua nota
Direção
Irving Rapper
Roteiro:
Casey Robinson (I) (roteiro), Olive Higgins Prouty (romance)
Gênero:
Drama, Romance
Origem:
Estados Unidos
Duração:
117 minutos
Prêmios:
15° Oscar - 1943

Lupas (7)

  • A relação entre uma mãe opressora (uma imponente Gladys Cooper) com sua introvertida filha (Bette Davis em uma de suas melhores e mais curiosas atuações), é interessante e bem desenvolvida, mostrando suas consequências, assim como o poder transformador do afeto (através de um simpático Paul Henreid). O ótimo Claude Rains marca presença no papel do Dr. Jaquith (a força propulsora inicial de transformação da protagonista). Bela trilha sonora de Max Steiner também. Um pouco datado, no entanto.

    Luiz F. Vila Nova | Em 22 de Agosto de 2021 | NOTA: 7.5
  • Os efeitos da repressão e do afeto muito bem representados por uma Bette Davis inspirada.

    Bruno Ricardo de Souza Dias | Em 12 de Outubro de 2020 | NOTA: 7.5
  • Bem melhor na primeira parte, é interessante a filha sucumbida pela velha e toda a sequência moderna do navio. Não mantém o vigor após a partida e a repetição na clínica, mesmo com a surpresa da filha. Bette é fascínio, faz valer e assina na frase final.

    Adriano Augusto dos Santos | Em 24 de Junho de 2018 | NOTA: 8.0
  • Mais um novelão de hollywood que ficou datado e cheio de emoções plastificadas mesmo que a atuação de Davis seja excelente. Os dilemas da protagonista realmente ficaram no século passado ainda que a premissa ainda seja repetida exaustivamente até hoje.

    Eliezer Lugarini | Em 14 de Março de 2017 | NOTA: 5.5
  • 30/06/13

    Eduardo Scutari | Em 17 de Março de 2014 | NOTA: 7.5
  • Excelente atuação de Bette Davis (ah vá!) num filme muuuuuito datado.

    Wel Cunha | Em 19 de Abril de 2012 | NOTA: 6.0
  • A grande atuação de Bette Davis consegue segurar o roteiro improvável e cansativo. Boa abordagem do envelhecimento: tem constantes bifurcações no caminho da vida. E uma das melhores propagandas de cigarro de todos os tempos!

    Gilberto C. Mesquita | Em 07 de Maio de 2011 | NOTA: 7.0