Saltar para o conteúdo
6,7
Cineplayers
9 votos
7,5
Usuários
128 votos
?
Sua nota
Direção
Charles Vidor
Roteiro:
E.A. Ellington (história), Marion Parsonnet (roteiro), Jo Eisinger (adaptação), Ben Hecht
Gênero:
Romance, Suspense, Drama
Origem:
Estados Unidos
Duração:
110 minutos
Prêmios:
1° Festival de Cannes - 1946

Na Argentina, Johnny Farrel, um apostador, é salvo de um pistoleiro por Ballin Mundson, que faz de Johnny seu braço direito. Mas essa amizade será abalada quando ele reconhece a esposa de Mundson, Gilda, que Johnny já detestava anteriormente.

Elenco

Rita Hayworth
Gilda Mundson Farrell
Glenn Ford
Johnny Farrell / Narrador
George Macready
Ballin Mundson
Joseph Calleia
Detetive Maurice Obregon
Steven Geray
Tio Pio
Joe Sawyer
Casey
Gerald Mohr
Capitão Delgado
Robert E. Scott
Gabe Evans
Donald Douglas
Thomas Langford
Ernö Verebes
Jogador de Blackjack
Ludwig Donath
membro do cartel
Julio Abadía
garçom
Enrique Acosta
jogador
Nina Bara
moça no carnaval
Jerry De Castro
porteiro
Carli Elinor
garçom
Fred Godoy
bartender
Argentina Brunetti
Ruth Roman
Garota no cassino
Jean Del Val
Membro do cartel francês

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Uma história, meio banal, atuações teatrais, não justifica a fama que tem.

  • Tudo muito misterioso e ambíguo, não sabemos nada sobre os personagens e suas motivações, com ares de McGuffin e expressionismo alemão.A fotografia e o uso de sombras embeleza o filme enfatizando a situação sombria dos personagens. Hayworth está esquisita

  • O queixo cai com tamanhos diálogos,a câmera criativa consagra a elegância e o êxtase é completo quando Gilda está em cena com sua sensualidade latente e postura atirada que fascinou tantos homens.

  • Não sei porque esse filme tem tanta fama. Alguns diálogos são até bons, mas nada demais. E a Rita Hayworth nem era tudo isso!

  • Gilda não têm nem lógica quanto menos cabimento. A impressão é que realizaram um filme para Rita Hayworth desfilar sua beleza, e nada além disto justifica a existência deste filme que nem sequer demonstra a costumeira fenomenal fotografia noir.

  • Claro que muito da fama e do mito por detrás do filme está em Rita Hayworth com sua beleza e cenas inesquecíveis, mas vai além, com fotografia típica do noir bem interessante e ritmo agradável.

  • Charles Vidor, ao melhor estilo conciso de Howard Hawks, permite que a relação entre os personagens de Rita Hayworth e de Glenn Ford comande o filme. Até porque o resto do roteiro é oscilante. E, como é vital no noir, a fotografia não passa despercebida.

  • A história até tenta, com sub-tramas regulares, mas não consegue disfarçar que o centro das atenções é Gilda, uma femme-fatale sedutora, enganadora, mas tão perigosa para os outros, quanto para si mesma, já que é confusa e de temperamento frágil.

  • 17/03/07 - O strip-tease mais famoso do cinema. "Nunca houve uma mulher como Gilda".

  • "Put the blame on Mame, boys".

Comentários (0)

Faça login para comentar.