Saltar para o conteúdo
Fantasia Ação Ficção Científica Aventura

Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi

(Star Wars: The Last Jedi, 2017)
7,3
Cineplayers
12 votos
7,7
Usuários
285 votos
?
Sua nota
Direção
Rian Johnson
Roteiro:
Rian Johnson (roteiro), George Lucas (personagens)
Gênero:
Fantasia, Ação, Ficção Científica, Aventura
Origem:
Estados Unidos
Estreia:
14/12/2017
Duração:
150 minutos
Prêmios:
90° Oscar - 2018

Filmes Relacionados

Tendo dado os primeiros passos para o mundo Jedi, Rey junta-se a Luke Skywalker em uma aventura com Leia, Finn e Poe, que desencadeia os mistérios da Força e os segredos do passado.

Elenco

Daisy Ridley
Rey
John Boyega
Finn
Oscar Isaac
Poe Dameron
Adam Driver
Kylo Ren
Mark Hamill
Luke Skywalker
Carrie Fisher
Leia Organa
Andy Serkis
Líder Supremo Snoke
Laura Dern
Vice-Almirante Amilyn Holdo
Kelly Marie Tran
Rose Tico
Domhnall Gleeson
General Hux
Gwendoline Christie
Capitã Phasma
Joonas Suotamo
Chewbacca
Anthony Daniels
C-3PO
Jimmy Vee
R2-D2
Benicio Del Toro
DJ
Frank Oz
Yoda (voz)
Lupita Nyong'o
Maz Kanata
Tim Rose
Almirante Ackbar
Mark Lewis Jones
Capitão Canady
Veronica Ngo
Paige Tico

Lupas

Faça login para dar uma nota e uma lupa.

  • Todo o novo filme do Star Wars é sempre o mesmo que os anteriores, com a mesma estrutura e clímax, e isso não vem a ser um problema para quem ama aquele universo, mas este novo abusa dessas rimas até o limite e não acrescenta nada de muito substancial.

  • Pequenos lapsos estruturais no roteiro e alguns personagens dispensáveis não diminuem a força empolgante do filme de Rian Johnson, um blockbuster com B maiusculo divertidíssimo, saudosista (sem esquecer as novas ideias) e criativo. Baita filme pipoca!

  • Não gostei dos rumos que deram pro Luke - tanto com relação ao sobrinho quanto ao seu encerramento - e muito menos daquela parte da perseguição aos Rebeldes - chaaaaaaaaata. Porém todo o resto é sensacional e funciona como cinema e como Star Wars.

  • Johnson mantém o nível de espetáculo em alta, evita o faltório político, e, mais que isso, agrega à saga uma rara densidade psicológica, com heróis e vilões sem saber qual o lado certo da força. Difícil resistir à essa galáxia muito, muito distante...

  • Incomoda o caráter episódio e esquemático, todos os vícios do blockbuster que sempre dividirão plateias estão lá, mas uma coisa não se pode negar: (só) o dinheiro gera as experiências mais inconcebivelmente potentes e impossivelmente férteis do cinema.

  • Gosto de como busca trabalhar seus personagens dando-lhes surpreendentes camadas comportamentais. É o que há de melhor aqui: essa profundidade das relações e as consequências das escolhas. Todavia, prolonga-se demais e entedia.

  • Falta conexão entre os núcleos narrativos, mas é delicioso ver um episódio de mais de 2h da maior franquia do mundo praticamente abnegar seu legado e os compromissos pragmáticos das "grandes sequências" pelo simples deleite da encenação.

  • Depois do bom início de Abrams à nova trilogia, Johnson expande o universo, aprofundando-se nos temas, nos personagens e em seus conflitos. De quebra, constrói alguns dos melhores e mais belos momentos de toda a saga. Star Wars ainda tem muito a oferecer.

  • A série é empurrada com a barriga - não há nada de muito relevante acontecendo aqui - e o pouco que prometeu interesse no episódio VII resultou em um vazio fenomenal. Os tempos áureos da série morreram com os últimos Jedis (de verdade, não esses novos).

  • Um dos filmes com os frames mais bonitos que já vi em Star Wars. Tinha muito potencial, que acaba desperdiçado sendo bastante desonesto com quem acompanha a série e deixando perguntas importantes sem resposta para o próximo filme.

  • Um blockbuster sublime, que estraçalha dogmas da franquia mas brilhantemente mantém a lógica e o sentido da história...

  • tenta continuar o tão necessário corte do cordão umbilical com as trilogias passadas. são personagens novos e antigos jogados na mesma bacia misturada de bem e mal, para surgirem (ou ressurgirem) no momento mais caótico que esse universo já passou

  • Tem lá seus problemas de roteiro e montagem, mas o ritmo é tão bom, os personagens tão carismáticos e o terceiro ato tão satisfatório que fica difícil resistir a este episódio VIII. Muito interessante como confronta alguns mitos da série.

  • Tem coisas boas, em meio a uma névoa imensa de clichês sem personalidade e uma trama dispensável. O problema nao é Rian Johnson, o problema é Star Wars. Star Wars precisa morrer. O pior é que é... chato.

  • STOP THESE STUPID JOKES! (Thnx)

  • Sai o velho, entra o novo....

  • Rian Johnson consegue trazer um certo frescor a essa tão consumida - e um tanto desgastada - saga espacial. Não que fuja dos clichês de sempre, no entanto é sempre bom quando eles conseguem expandir um pouco mais. Mas o destino de Luke incomoda...

  • Respeita e de certa forma amplia o Universo Cinematográfico de Star Wars. Ótimas cenas de ação e Carrie Fisher se despedindo do papel de sua carreira em grande estilo.

  • Quarenta anos depois de Lucas ter, com o primeiro SW, reinventado um molde de filmes de que Hollywood depende cada vez mais para dominar o mundo, a saga "Star Wars" precisa enfrentar uma questão: como se manter à frente dessa concorrência tão pesada?

Comentários (0)

Faça login para comentar.