Saltar para o conteúdo

Notícias

It - Capítulo Dois divulga primeiro teaser trailer


A New Line Cinema divulgou o primeiro teaser trailer de It - Capítulo Dois, que mostra uma crescida Beverly voltando a Derry e interagindo com uma senhora que, ainda que simpática, começa a se mostrar cada vez mais suspeita. Quando ela sai para fazer o café, olhar para os quadros confirma o motivo de sua suspeita.

O novo filme é ambientado 27 anos depois do primeiro filme, ambientado em 1988, e conta com os integrantes do "Clube dos Otários" Bill, Beverly, Ben, Richie, Stan, Mike e Eddie adultos retornando à sua cidade natal Derry para novamente lidar com a ameaça do palhaço sobrenatural Pennywise, uma entidade que retorna de tempos em tempos para se alimentar do medo das pessoas. 

Com James McAvoy (Vidro), Jay Ryan (Top of The Lake), Jessica Chastain (A Grande Jogada), Bill Hader (Barry), James Ransone (A Escuta), Andy Bean (Monstro do Pântano) e Bill Skarsgård (Atômica), o filme dirigido por Andy Muschietti (Mama) conclui a adaptação do romance monumental de Stephen King. A previsão de estreia no Brasil é para 5 de setembro de 2019.

Confira o trailer abaixo e deixe seu comentário!

Notícias

Confira o novo trailer de Homem-Aranha: Longe de Casa


Após os eventos de Vingadores: Ultimato, e podendo se ver (mais ou menos) livre de spoilers, a Marvel divulgou o novo trailer de Homem-Aranha: Longe de Casa, conectando a nova aventura do herói interpretado por Tom Holland a um dos eventos mais significativos da história recente do MCU: a morte do Tony Stark, o Homem-de Ferro.

O trailer novo dá mais profundidade à história, com Peter querendo curtir um pouco a adolescência em uma eurotrip, mas a chegada da vida adulta e das responsabilidades batem à porta quando o jovem sente-se no dever de honrar o legado do seu mentor Tony Stark, para isso ajudando Nick Fury, Maria Hill e a S.H.I.E.L.D. a lidar com criaturas poderosas conhecidas como Elementais, sendo assistido por isso por Quentin Beck, conhecido pela alcunha de Mysterio e que clama entender sobre os monstros e ser de uma realidade diferente, a Terra-833.

Muita informação para processar: o novo Homem-Aranha não só conecta com a última história lançada como também abre as portas para um conceito dos quadrinhos da Marvel ainda não explorado pelos filmes: o Multiverso. A maioria das histórias se passam na Terra-616,  mas há uma conjunção de realidades paralelas como o Microverso, a Zona Negativa e o interior da Jóia da Alma.

O conceito de Multiverso foi introduzido nas páginas do Capitão Britânia, onde cada realidade era guardada por um herói com esta alcunha. Nos quadrinhos, a Terra-833 é o lar do Aranha-UK, uma variante britânica do herói e único sobrevivente dessa realidade. O conceito dos vários Homens-Aranha diferentes explorado em Homem-Aranha no Aranhaverso parte de um arco onde um exército de variantes do herói descobre Karn, um membro de um grupo maligno conhecido como os Herdeiros que acaba se redimindo e se tornando um Mestre Tecelão, responsável por tecer a Teia da Vida e do Destino, que conecta todas as realidades alternativas. 

Após uma das grandes batalhas da década, a Marvel está sonhando alto. Não sabemos ainda até quando esse projeto continuará sendo expandido, mas o trailer cheio de novidades pode ser visto abaixo. Não se esqueça de comentar!

Notícias

Divulgado o primeiro trailer de Sonic - O Filme


Foi divulgado o primeiro trailer para Sonic - O Filme, adaptação em live-action e motion capture do clássico videogame do Master System e desde o ano passado um dos projetos mais polêmicos da internet, que em grande parte recebeu mal a concepção visual realista do ouriço azul velocista.

O filme foi produzido em associação internacional entre várias companhias, as mais famosas sendo a Paramount Pictures e a Sega e conta a história de Tom Wachowski, um xerife da pequena Green Hills que viaja até San Francisco para ajudar Sonic, um ouriço azul antropomórfico que é capaz de correr a velocidades incríveis,  tentando tanto livrar Sonic das garas do governo quanto para somar forças na batalha contra o vilão Dr. Robotnik.

Com Ben Schwartz (Parks and Recreation) fazendo a voz de Sonic, James Marsden (Westworld) como o xerife e Jim Carrey (O Máskara) como o vilão Robotnik, Sonic - O Filme é dirigido por Jeff Fowler, responsável pelos efeitos visuais de Onde Vivem os Monstros e que estreia na direção de longas-metargens.

O filme estreia no Brasil em 14 de maio de 2019. Veja o trailer abaixo e deixe seu comentário!

Notícias

Olhares para o passado


O Olhar de Cinema começa no próximo dia 5 de junho e durante 9 dias a extensa programação incluirá as tradicionais mostras de retrospectivas e clássicos, procurando como sempre reverberar o nosso tempo. E dentro do atual cenário do país de perdas de certezas e um infeliz elogio a repressão política, uma homenagem a um cineasta que viveu no exílio se faz necessário, infelizmente. Assim sendo, a Retrospectiva desse ano é denominada 'Raoul Ruiz e os Diálogos no Exílio', um recorte preciso sobre o período em que o renomado cineasta chileno precisou se afastar de seu país devido à ditadura imposta.

Falecido em 2011 aos 70 anos, Raoul construiu uma filmografia muito particular, ligando seu nome a narrativas nunca tradicionais, situações surreais e muitas vezes nonsense, além de ter formado ao longo de mais de 100 filmes que dirigiu um olhar sobre a própria condição de exilado, que tantas vezes refletiu em seu próprio cinema. Sua filmografia se espalhou por diversos países, mas no seu Chile natal e na França que escolheu viver se encontraram os grandes momentos dessa obra singular, cheia de autenticidade e que reverberou seu país e as tradições disruptivas que ele amalgamou com a junção desses dois Estados tão diferenciados.

De sua longa obra, o Olhar vem buscar filmes realizados entre os anos 60 e 70, que dialogavam muito com sua situação de exílio e cujo período conversa com a própria ditadura brasileira. Disse Antônio Junior, diretor geral e de programação do Festival: "talvez há um ano atrás, esse tema não fizesse muito sentido à nossa realidade; infelizmente, nossa realidade política hoje observa a situação de um exilado sob uma perspectiva aproximada e a obra de Ruiz, especificamente nesse recorte escolhido, mostra a potência do seu criador e também se comunica com toda a América Latina no mesmo período".

Além dos 8 filmes dirigidos por Ruiz, outras 10 produções dirigidas por grandes nomes nossos que igualmente abordam o exílio e a ditadura foram selecionadas para essa edição do Olhar, de nomes como os de Glauber Rocha, Lúcia Murat, Cacá Diegues, Júlio Bressane, Ruy Guerra e Helena Solberg. Abaixo, os filmes do Olhar Retrospectivo:

Três tristes tigres (Tres tristes tigres, 1968, Chile, 98 min)

Diálogos dos exiliados (Diálogos de exiliados/Dialogue d’exilés, 1975, Chile/França, 104 min)

A vocação suspensa (La vocation suspendue, 1977, França, 95 min)

A hipótese do quadro roubado (L’Hypothèse du tableau volé, 1978, França, 64 min)

As divisões da natureza (Les divisions de la nature: Quatre regards sur le château de Chambord, 1978, França, 31min)

Dos grandes eventos e pessoas comuns (De grands événements et des gens ordinaires, 1979, França, 61min)

O teto da baleia (Het dak van de walvis, 1982, Holanda, 90 min)

As três coroas do marinheiro (Les trois couronnes du matelot, 1983, França, 117 min)

Os 10 filmes a seguir, dirigidos por cineastas brasileiros exilados, também foram confirmados para a Retrospectiva. Os filmes serão exibidos em suas cópias digitais:

Meio-dia (dir. Helena Solberg, 1970, Brasil, 11 min)

Un séjour (dir. Carlos Diegues, 1970, França, 56min)

O Leão de Sete Cabeças (Der Leone Have Sept Cabeças, dir. Glauber Rocha, 1970, França/Itália/Brasil, 99 min)

Não é hora de chorar (No es hora de llorar, dir. Luiz Alberto Barreto Leite Sanz e Pedro Chaskel, 1971, Chile, 36 min)

Memórias de um estrangulador de loiras (dir. Júlio Bressane, 1971, Inglaterra/Brasil, 71 min)

A dupla jornada (dir. Helena Solberg, 1975, Argentina/Bolívia/México/Venezuela, 54 min)

Estas são as armas (dir. Murilo Salles, 1978, Moçambique, 56 min)

Mueda, memória e massacre (dir. Ruy Guerra, 1979, Moçambique, 75 min)

O pequeno exército louco (dir. Lúcia Murat e Paulo Adário, 1984, Brasil/Nicarágua, 52 min) 

Fragmentos de exílio (dir. Sivio Tendler, 2003, Brasil, 6 min)

A Olhares Clássicos vai além da homenagem a um nome específico, e abrange a visitação por obras inesquecíveis e primordiais do nosso cinema, em versões restauradas para longas metragens cujas oportunidades de conferir em tela grande são raras. Além disso, o festival costuma selecionar ao menos um filme de grandes nomes que faleceram no período, como são os casos de Nelson Pereira dos Santos, Jonas Mekas, Kira Muratova, Stanley Donen e a mais recente de um dos maiores nomes da História do Cinema, Agnès Varda.

Algumas sessões serão obrigatórias, como a de O Funeral das Rosas, um dos primeiros títulos a celebrar a causa LGBTQ no cinema ao percorrer bares e boates gays, em formato que mistura documentário com a típica psicodelia de 1969, pelas mãos de um dos mais proeminentes cineastas experimentais japoneses, Toshio Matsumoto. Ou o vencedor do Leopardo de Ouro em Locarno '70, Ó, Sol, do mauritano Med Hondo, falecido em março. Conterrâneo do homenageado passado do Olhar Djibril Diop Mambety, também Hondo é adepto do experimentalismo e foi intensamente celebrado com essa vitória a um filme que não perdeu sua força, e que celebra uma forma de se livrar do julgo para imigrantes africanos na França do período. 

Ainda terá por lá exibição do impressionante O Conformista, de Bernardo Bertolucci, bem como A Longa Caminhada, de Nicolas Roeg. A russa Kira Muratova terá a oportunidade de se tornar mais reconhecida no país, já que seu nome nunca foi muito difundido por aqui, através de um de suas obras mais importantes, 'Conhecendo o Grande e Vasto Mundo'. E um dos filmes mais importantes de Agnès Varda, Os Renegados, estará homenageando a grande dama e uma das criadoras da Nouvelle Vague. 

Abaixo, a lista dos clássicos que estarão no Olhar: 

O Funeral das Rosas (Funeral Parade of Roses, dir. Toshio Matsumoto, Japão, 1969, 105 min.)

Filhas do Pó Daughters of the Dust, dir. Julie Dash, EUA, 1991, 112min.)

Ó, Sol (Soleil Ô, dir. Med Hondo, Mauritânia, 1970, 98 min.)

O Conformista (Il conformista, dir. Bernardo Bertolucci, Itália, 1970, 113 min.)

Conhecendo o grande e vasto mundo (Getting to Know the Big Wide World, dir. Kira Muratova, União Soviética, 75min. 1978) 

Os Renegados (Sans toit ni loi, dir. Agnès Varda, França, 105 min. 1985)

A Longa Caminhada (Walkabout, dir. Nicolas Roeg, Austrália/Reino Unido, 1971, 100min)

Cantando na Chuva (Singin’ in the Rain, dir. Stanley Donen, EUA, 1952, 103min)

Memórias do cárcere (dir. Nelson Pereira dos Santos, Brasil, 1984, 185min)

 

Programa Germaine Dulac


Celles qui s’en font (dir. Germaine Dulac, França, 1928, 6min)

La cigarette (dir. Germaine Dulac, França, 1919, 56min)

Danses espagnoles (dir. Germaine Dulac, França, 1928, 7min)

Reminiscências de uma Viagem à Lituânia (Reminiscences of a Journey to Lithuania, dir. Jonas Mekas, Lituânia/EUA, 1972, 82min)

Notícias

John Singleton falece aos 51 anos

Após sofrer um derrame no dia 17 de abril de 2019 e estar desde então em coma, o diretor John Singleton teve os aparelhos que o mantinham vivo desligados e faleceu aos cinquenta e um anos de idade.

Singleton destacou-se em Hollywood com Os Donos da Rua (1991), que o tornou o cineasta mais jovem e o primeiro afro-americano indicado ao Oscar de Melhor Direção, também lançando para a fama o ator Cuba Gooding Jr. (Homens de Honra). Desde então, Singleton ainda comandaria o remake Shaft (2000), a sequência +Velozes +Furiosos (2003) e o clipe de Michael Jackson Remember The Time.

Pai de cinco filhos, um deles com a atriz Akosua Busia (A Cor Púrpura), Singleton também dirigiu episódios das séries Empire e American Crime Story e criticava ativamente Hollywood por questões raciais, chegando a afirmar  em uma palestra universitária que para diretores negros só era possível fazer filmes sobre questões de raça.

Notícias

Black Mirror divulga trailers individuais da quinta temporada


Após lançar um trailer divulgando o quinto ano de forma geral, a Netflix divulgou para Black Mirror trailers que revelam títulos e apresentam a sinopse dos novos episódios. Após uma 3ª e 4ª temporada com seis episódios cada e o filme interativo Black Mirror: Bandersnatch, a série volta às raízes ao lançar uma temporada com apenas três episódios, como aconteceu com as duas primeiras.

Em Smithereens, Andrew Scott (Sherlock) intepreta um motorista de aplicativo que, revoltado com a dependência tecnológica das pessoas, sequesta um executivo em seu carro e se torna o centro da atenção em um dia que rapidamente sai de controle.

Em Rachel, Jack and Ashley Too, Black Mirror parece parodiar filmes recentes sobre a fama no showsbiz como Nasce Uma Estrela e Vox Lux, trazendo a história sobre uma adolescente que quer se conectar com sua estrela pop favorita Ashley, interpretada pela cantora Miley Cyrus. A artista, com relação problemática com a fama, acaba presa dentro da robô Ashley Too, que usa para se comunicar com os fãs. 

Por último, Striking Vipers traz Anthony Mackie (Vingadores: Ultimato) interpretando um marido solitário que, incapaz de se comunicar com a esposa, fica viciado em um aplicativo de relacionamentos apresentado por seu amigo, interpretado por Yahya Abdul-Mateen II (Aquaman). É a segunda vez que a série aborda tais softwares, já tendo feito o episódio da quarta temporada Hang The DJ.

Os novos episódios de Black Mirror chegam no dia 5 de junho.

Notícias

Reboot Jogos Mortais terá história criada por Chris Rock


O comediante Chris Rock, conhecido por seus stand-up, por criar o seriado cômico Todo Mundo Odeia Chris e por fazer a voz da zebra Marty na animação Madagascar, arranjou um cargo inusitado dessa vez: é ele quem criou o argumento para o reboot de Jogos Mortais, franquia de terror criada por James Wan como o filme homônimo de 2004.

Ma como pode? Em notícia divulgada pela Empire, Rock explica: "Eu sou um fã de Jogos Mortais desde o primeiro filme em 2004. Eu estou excitado pela oportunidade de levar a isso a um novo lugar realmente intenso e distorcido". O presidente da Lionsgate Joe Drake acrescentou: "quando Chris Rock veio até nós e descreveu em detalhes aterrorizantes sua fantástica visão que reimagina e faz um spin off do mundo do notório assassino do quebra-cabeças, todos nós entramos a bordo. Chris concebeu essa ideia e irá reverenciar o legado enquanto revigora a marca com sua esperteza, visão criativa e paixão por essa clássica franquia do horror.

Por trás da notícia inusitada, pode-se argumentar que o fato de Danny McBride (Trovão Tropical) ser bem elogiado pelo roteiro do novo Halloween, bem como Seth Rogen (Ligeiramente Grávidos) produzir a série cult baseada em quadrinhos Preacher. E o exemplo mais bem-sucedido, é claro, Jordan Peele, vindo da dupla cômica Key & Peele e realizador dos aclamados Corra! e Nós, vencedor de Oscar de Roteiro Original pelo primeiro. O resultado conheceremos em outubro de 2020.

Notícias

A seleção do Cine PE

Foram divulgadas as novas datas do festival Cine PE, um dos mais tradicionais festivais do país que tinha inicialmente o dia 28 de maio como seu início agendado. Com a proximidade da data, a assessoria divulgou então que um adiamento fez com que Pernambuco se tornasse a capital de debates e encontros do cinema brasileiro a partir de 29 de julho, tendo seu término e premiação a acontecerem em 4 de agosto. 

Esses dois meses postergados foram necessários devido a reformulação da Lei de Incentivo à Cultura promovida pelo governo federal, que afetou a maioria dos eventos culturais no país, além de paralisar inúmeras produções e manifestações ligadas à sétima arte, deixando o setor em estado de alerta. 
Sandra Bertini, idealizadora e diretora do Cine PE, respondeu em coletiva e esclareceu alguns pontos, “era preciso aguardar a liberação do sistema de análise de projetos culturais para fazer a aprovação e termos o benefício fiscal federal. Essa liberação do sistema só aconteceu agora no início de maio”, acalmando os ânimos e mostrando que o festival está firme no calendário, aproveitando também para divulgar a lista competitiva do ano, tanto nos longas quanto nos curtas, e liberar números impressionantes. 
 
Os números da 23a. edição do Cine PE impactam quem acompanha o festival, e deixam felizes qualquer cinéfilo que torça pelo cinema brasileiro: foram inscritos 892 filmes, número 77,33% maior do que as 503 inscrições em 2018. Abaixo, os títulos selecionados indicam um olhar atento para descobrir pérolas ainda não lançadas da nossa produção, e um faro aguçado sobre algumas pepitas já testadas no mundo, como o documentário 'Espero Tua (Re)volta' de Eliza Capai e o curta 'Lembra' de Leonardo Martinelli. 
 
A abertura fora de competição ficou por conta de Deby Brennand e Katia Mesel, diretoras respectivamente de 'Frei Damião' e 'Parto sim!', que serão a porta de entrada para 7 dias de muitas reflexões sobre o cinema e sessões gratuitas a serem realizadas no belíssimo Cine São Luiz, um dos mais imponentes cinemas do país; entre 29 de julho e 4 de agosto, esse será o endereço do cinema no país. 

Filmes selecionados

Hors-Concurs

  • “Frei Damião, o santo do Nordeste” (PE), de Deby Brennand
  • “Parto sim!” (PE), de Kátia Mesel

Mostra Competitiva de Longas-metragens

  • “Um e oitenta e seis avos” (RJ), de Felipe Leibold
  • “Abraço” (BA), de DF Fiuza
  • “Teoria do ímpeto” (DF), de Marcelo R. Faria e Rafael Moura
  • “Espero tua (re)volta” (SP), de Eliza Capai
  • “O corpo é nosso!” (RJ), de Theresa Jessouroun
  • “Vidas descartáveis” (RJ), de Alexandre Valenti e Alberto Graça

Mostra Competitiva de Curtas-metragens Pernambucanos

  • "S/N (Sem Número)", de Renata Malta
  • "Coleção", de André Pinto e Henrique Spencer
  • "Pisciano", de Alexandre Pitanga
  • "Mulheres de fogo", de Vinícius Meireles
  • "Epígramas", de Wayner Tristao
  • "Sobre viver", de Sérgio Ferreira, Vinícius de Miranda, Marlom Meirelles
  • "Quando a chuva vem?", de Jefferson Batista

Mostra Competitiva de Curtas-metragens Nacionais

  • "É difícil de encontrar" (PE), de Sabrina Menedotti
  • "3 X melhor" (MA), de Andriolli Araújo
  • "#Procuram-se mulheres" (RJ), de Rozzi Brasil
  • "Pogrom" (RJ), de Guilherme Folly e Fernanda Cavalcanti
  • "Cor de pele" (PE), de Lívia Perini
  • "Carrero, o áspero amável" (PE), de Luci Alcântara
  • "Vinillis frutíferis" (ES), de Victor Hugo Passabon Amorim
  • "Obeso mórbido" (AM), de Diego Bauer e Ricardo Manjaro
  • "Tommy brilho" (CE), de Sávio Fernandes
  • "O mistério da carne" (DF), de Rafaela Camelo
  • "Lembra" (RJ), de Leonardo Martinelli
  • "Guará" (GO), de Fabricio Cordeiro e Luciano Evangelista
  • "A margem do universo" (DF), de Tiago Esmeraldo
  • "A pedra" (RS), de Iuli Gerbase
  • "Casa cheia" (PE), de Carlos Nigro
  • "Vivi Lobo e o quarto mágico" (PR), de Isabelle Santos e Edu MZ Camargo
  • "Só sei que foi assim" (SC), de Giovanna Muzel
  • "Apneia" (PR), de Carol Sakura e Walkir Fernandes
  • "Trip & Treasure" (RJ), de Estúdio Escola de Animação

Mostra Infantil de Cinema

  • "Detetives do prédio azul 2 - O mistério italiano", de Vivianne Jundi
  • "Meus 15 anos", de Caroline Fioratti

Notícias

A Rainy Day In New York enfim ganha primeiro trailer


A Rainy Day in New York já entrou para a história, mas não por motivos gloriosos. A controvérsia surgida acerca da vida pessoal de Woody Allen iniciada pelo movimento #MeToo, quando ressurgiram do passado as acusações que o diretor teria abusado da filha de Mia Farrow, fez com que a Amazon arquivasse o filme para se livrar de controvérsias. O astro do filme Timothée Chalamet (Me Chame Pelo Seu Nome) também retirou sua "benção" da produção.

E finalmente, depois de uma batalha judicial onde ameaçou processar a Amazon pelo engavetamento, Woody pôde divulgar seu novo filme após passar um ano inteiro sem lançar novas obras, fato inédito na sua carreira desde Um Assaltante Bem Trapalhão (1969). A história é sobre dois jovens que se conhecem em Nova York em um dia de tempo ruim, acabando por se envolverem romanticamente. 

Além de Chalamet, o filme também conta com Elle Fanning (Como Falar Com Garotas em Festas), Selena Gomez (Spring Breakers - Garotas Perigosas), Jude Law (Capitã Marvel), Diego Luna (Rogue One: Uma História Star Wars), Liev Schreiber (Spotlight - Segredos Revelados), Rebecca Hall (Vicky Cristina Barcelona) e Suki Waterhouse (Detetive Pikachu). O filme será distribuído pela FilmNation Entertainment e será lançado em 18 de setembro de 2019. Confira o trailer abaixo.

Notícias

Divulgado o trailer da terceira temporada de Westworld


Logo após o final da oitava e última temporada de Game of Thrones, a HBO não perdeu tempo e veiculou o trailer para a terceira temporada de Westworld, série desenvolvida por Jonathan Nolan (Amnésia) e Lisa Joy (Pushing Daisies) inspirado no filme de 1973 Westworld - Onde Ninguém Tem Alma, escrito e dirigido por Michael Crichton (Jurassic Park, Plantão Médico).

O destaque do primeiro trailer é o ator Aaron Paul, revelado e premiado no papel do problemático traficante Jesse Pinkman em Breaking Bad - A Química do Mal, também marcando presença como uma das vozes da animação para adultos BoJack Horseman. Seu personagem é o responsável por mostrar como é a vida fora dos parques temáticos criados para agradar milionários que podem fazer o que quiserem com andróides. Ele acaba encontrando Dolores, uma das primeiras androides insurgentes que iniciaram a rebelião das máquinas contra seus senhores. 

Além de Aaron, Lena Waithe (Master of None), Vincent Casel (Cisne Negro), o futebolista americano Marshawn Lynch e o rapper Kid Cudi também são nomes inéditos do terceiro ano da série, liderada por Evan Rachel Wood (Tudo Pode Dar Certo) e Anthony Hopkins (O Silêncio dos Inocentes) entre os grandes nomes.

Westworld volta em 2020. Confira o trailer abaixo.

Páginas